segunda, 16 de julho de 2018

PRIORIDADES

Saúde entra no período de consolidação, diz Beatriz Dobashi

2 JAN 2011Por DANIELLA ARRUDA09h:19

"No primeiro mandato, investimos na formação do sistema de saúde. O Estado mudou o seu papel em relação aos municípios, aumentando os repasses em mais de 300% — passamos de R$ 16 milhões, em 2006, para R$ 70 milhões em 2009, financiando diversas ações, como o Programa de Saúde da Familia, dos agentes comunitários de saúde, farmácia básica, saúde mental e bucal. Também trabalhamos na organização de serviços e na entrega de hospitais. Agora o período é de consolidação", avalia a secretária de Estado de Saúde, Beatriz Figueiredo Dobashi.

Nos próximos quatro anos, as prioridades da pasta serão equipar a rede hospitalar no interior do Estado e, na capital, dar continuidade aos trabalhos no Hospital Regional. "Entregamos os hospitais de Chapadão do Sul, Fátima do Sul, Coxim e Nova Andradina, abrindo em torno de 300 leitos. Agora pretendemos fazer a melhoria da estrutura das unidades já existentes", explicou. Entre elas estão as obras do hospital de Ponta Porã, no valor de R$ 4 milhões. De acordo com a secretária, o local já recebeu reforma das instalações hidráulica e elétrica, alas de enfermaria e também construção de um bloco para o setor administrativo. Já em Naviraí, o hospital do município passou por reforma de seu pronto-socorro e deve receber equipamentos novos ainda neste ano.

Intervenções também estão em curso em Dourados e Campo Grande, onde o Hospital Regional está com obras de mais de R$ 10 milhões em andamento e transformou-se em hospital de ensino, destacou a secretária de Estado de Saúde. "Já estamos com várias residências médicas, até março as obras deverão estar concluídas e com isso, o Hospital Regional passará a ter o maior pronto-socorro do Estado, só não atendendo grandes traumas, que são de atribuição da Santa Casa. Estamos trabalhando para que o Hospital Universitário, com o qual o Estado já detém parceria, e o Hospital Regional tirem esses atendimentos (de média complexidade) de dentro da Santa Casa, desafogando o sistema juntamente com o Hospital do Trauma, assim que ele entrar em funcionamento. São coisas para (serem efetivadas a partir de) 2012", explicou.

Leia Também