Campo Grande - MS, quinta, 16 de agosto de 2018

PROPOSTA

Saúde defende fim de cigarros com sabores

31 MAI 2011Por Portal da Anvisa21h:00

Proposta da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) que proíbe a adição de açúcares e flavorizantes em produtos derivados do tabaco ganhou força em encontro realizado na sede da Organização Pan-Americana da Saúde (Opas), em Brasília (DF), nesta terça-feira (31).

De acordo com o ministro da Saúde, Alexandre Padilha, o governo não pode permitir a estratégia das indústrias de tabaco de vender cigarros com sabores, como cereja, limão e chocolate.

“O grande fronte atual da indústria é cooptar jovens para o hábito de tabagismo”, afirmou Padilha. As declarações do ministro foram dadas na abertura da oficina “Tabaco, Doenças Não – Transmissíveis e Desenvolvimento”, organizada pela Opas para comemorar o Dia Mundial Sem Tabaco, nesta terça-feira (31).

Na oficina, o ministério e o Instituto Nacional do Cancer (Inca) lançaram o Observatório da Política Nacional de Controle do Tabaco. Na página, o internauta poderá encontrar as mais recentes informações sobre o controle do tabagismo no Brasil, e também pode ser direcionado aos sites dos órgãos que integram a Comissão Nacional para Implementação da Convenção-Quadro (Conicq).  A convenção é um tratado internacional assinado por 172 países que se comprometeram a aderir às determinações da OMS para reduzir o consumo de cigarro e derivados do tabaco.

Dados do Instituto Nacional do Cancer (Inca) apontam que 45% dos fumantes de 13 a 15 anos consomem os produtos com sabor. Além disso, entre 2007 e 2010, o número de marcas de cigarros com sabor, cadastradas na Anvisa,  cresceu de 21 para 40. Já o número total de marcas de cigarros cadastradas caiu de 209 para 184, no mesmo período.

Leia Também