ESPORTES

São Paulo mantém técnico, mas já procura o substituto

São Paulo mantém técnico, mas já procura o substituto
24/08/2010 09:40 -


São Paulo

O técnico Sérgio Baresi continua no comando do São Paulo, pelo menos até amanhã, quando o time enfrenta o Vasco no Morumbi pelo Campeonato Brasileiro. A garantia foi dada ontem à tarde pelo vice-presidente de futebol do clube, Carlos Augusto de Barros e Silva, o Leco. A derrota para o Corinthians por 3 a 0, no clássico do último domingo, acabou deixando em risco o cargo do treinador.
Depois de uma tarde conturbada no Centro de Treinamento da Barra Funda, com protesto de torcedores, Leco confirmou a permanência provisória de Baresi no cargo. “Ele comanda o time na quarta-feira. Essa informação (de que ele foi destituído) não procede”, afirmou ontem o dirigente.
Durante o treino de ontem, um grupo de 40 torcedores vaiou os jogadores e o técnico do clube.
O grande desafio da cúpula tricolor é encontrar um treinador de peso no mercado. Os principais nomes da função estão empregados, vinculados a contratos cujas multas rescisórias são altas, casos de Paulo Autuori e Abel Braga (no futebol árabe), Vanderlei Luxemburgo (no Atlético Mineiro), Joel Santana (Botafogo) e Adilson Batista (Corinthians). Antônio Lopes, que comanda o Avaí, seria uma possibilidade mais viável para assumir o clube de imediato.
Com a derrota para o Corinthians no último domingo, o São Paulo caiu para a 15ª colocação do Campeonato Brasileiro, permanecendo com 17 pontos, apenas dois de vantagem para o Grêmio, primeira equipe na zona do rebaixamento.
smaple image

Fique por dentro

Fique sempre bem informado com as notícias mais importantes do MS, do Brasil e do mundo, direto no seu e-mail.

Quero Receber

Felpuda


Princípio de "rebelião" política no interior de MS, fomentada por grupo interessado em tomar o poder, não prosperou. Quem deveria assumir o "comando da refrega", descobriu que, além da matemática ser ciência exata, há "prova dos nove". Explica-se: é segunda suplente, pois não conseguiu votos necessários nas últimas eleições, mas assumiu o cargo porque a titular licenciou-se, assim como o primeiro suplente. Caso contrarie a cúpula, seria aplicada a tal prova e, assim, "noves fora, nada".