Campo Grande - MS, domingo, 19 de agosto de 2018

direitos de transmissão

São Paulo faz acordo com Globo; RedeTV! pode ir à Justiça

5 ABR 2011Por uol15h:14

O fim do Clube dos 13, ao menos como é hoje, ocorre nesta semana, quando o São Paulo se tornará o 12º time grande a fechar acordo com a Globo, cedendo os direitos exclusivos de seus jogos --a princípio até o fim de 2012, mas prorrogáveis até 2014. O São Paulo só fez seguir a Corinthians, Santos, Cruzeiro, Flamengo, Palmeiras e outros.

Pelo acordo, o São Paulo deve receber cerca de R$ 80 milhões pela cessão, não só TV mas também outras plataformas. É o mesmo valor previsto para o Palmeiras, por exemplo.

"Oficialmente" esse seria um valor inferior aos R$ 115 milhões anunciados por Flamengo e Corinthians, mas flamenguistas e alvinegros podem estar inflacionando os próprios ganhos para "fazer farol". Os ganhos reais estariam na casa dos R$ 90 milhões para cada um.

No caso do São Paulo, o agora virtual acordo com a Globo parecia algo impossível meses atrás. O time se aproximou da Record no ano passado, quando a emissora controlada pela Igreja Universal parecia ser a provável vencedora da licitação aberta pelo Clube dos 13 para os campeonatos de 2012, 2013 e 2014.

Como a Record recuou e desistiu de fazer proposta, e a licitação acabou vencida (em tese) pela Rede TV!, o São Paulo acabou órfão e numa sinuca: ou endossava o C13 e aceitava a vitória da RedeTV!, ou caía fora e aceitava novamente voltar aos braços da Globo --que abriu a casa ao filho pródigo e melhorou a proposta. Foi o mesmo com o Palmeiras, outro que fechou questão com a emissora carioca.

RedeTV! poderia tentar "melar" Brasileiro 2012 na Justiça

Com trocadilho, a bola judicial está agora com a RedeTV! Tudo vai depender de como a emissora reagirá, pois venceu a licitação do C13 pelos direitos exclusivos de transmissão do futebol (em belo lance de estratégia, é justo dizer), e agora assiste à debandada da entidade representativa (C13) com a qual ela assinou.

"A RedeTV! considera que tem um contrato juridicalmente perfeito e vai lutar por seus direitos em todas as instâncias possíveis", afirma o superintendente de Jornalismo da emissora, Américo Martins.

Se a emissora optar pela via judicial, teria de fazê-lo evocando decisões do Cade (Conselho Administrativo de Defesa Econômica), que não considera a negociação direta entre times e uma TV como ilegal.

Se, por outro lado, a Rede TV! optar em disputar o assunto na Justiça Desportiva, as chances de derrota seriam ainda maiores, já que o órgão tem histórico de decisões que interessam à CBF --grosso modo, a maior "parceira econômica" da Globo no Brasil.

Leia Também