quinta, 19 de julho de 2018

São Paulo é suspeito de tentar subornar árbitro

7 DEZ 2008Por 15h:05
     

        Da redação

        Uma denúncia recebida pela CBF fez a confederação substituir o árbitro Wagner Tardelli da partida Goiás x São Paulo e deixou a rodada decisiva do Brasileiro-2008 sob suspeita.

        A CBF emitiu nota oficial, mas não deu detalhes sobre a denúncia. Tardelli afirmou que a acusação partiu do Ministério Público e, segundo ele, uma pessoa usou seu nome em uma suposta negociação.

        Segundo Tardelli, o Ministério Público paulista vinha monitorando uma pessoa que estaria negociando em seu nome.

        Em seu site, a CBF escreveu que recebeu "denúncia de que estava sendo planejada uma tentativa de manipulação do resultado da partida São Paulo x Goiás". E que Teixeira determinou a troca, apesar de reconhecer a "lisura" de Tardelli.

        A Folha apurou que o cartola da CBF recebeu telefonema de Marco Polo Del Nero, presidente da federação paulista, afirmando que havia uma situação estranha envolvendo Tardelli. Soube de um envelope suspeito a ser entregue ao juiz.

        A polícia foi acionada informalmente, e a CBF só falará mais sobre o assunto após o boletim de ocorrência ser registrado, amanhã. A assessoria de imprensa da FPF afirmou não ter localizado Del Nero.

        Dirigentes da federação, que não falam oficialmente pela entidade, afirmam que uma secretária do São Paulo telefonou para a secretária de Del Nero a fim de entregar ingressos do show da cantora Madonna para convidados da FPF. Reinaldo Carneiro Bastos, vice da entidade, teria pedido um convite para Tardelli. A secretária não sabia do pedido e teria dito ao presidente apenas que tinha um envelope do São Paulo para entregar ao juiz. Del Nero, então, ligou para Teixeira.

        A versão do show é tida como fantasiosa na CBF. O episódio seria bem mais grave e o nome de ao menos mais um dirigente poderá ser divulgado após a polícia entrar no caso.

        A CBF diz que agiu para "preservar o campeonato".

        "O São Paulo não é medíocre para fazer isso. Acho que plantaram isso para tirar o nosso sossego. Por que não deu confusão no jogo do Grêmio? por que Grêmio e Goiás não estão sob suspeita?", perguntou Marco Aurélio Cunha, superintendente do São Paulo.

        O Grêmio pediu adiamento da rodada, o que não acontecerá. O STJD entrará no caso. (informações da Folha)

Leia Também