Especial Coronavírus (COVID-19) - Leia notícias e saiba tudo sobre o assunto. Clique aqui.

ESPORTES

São Paulo e Inter decidem hoje quem disputa a final

São Paulo e Inter decidem hoje quem disputa a final
05/08/2010 07:36 -


São Paulo

A expressão “final antecipada” nunca foi tão bem empregada como para o jogo entre São Paulo e Internacional, na noite de hoje, às 20h50min (MS). Não que o jogo já valha o título da Copa Libertadores da América, mas, levando o vencedor à decisão do torneio, o duelo já garantirá um representante brasileiro no Mundial de Clubes da Fifa.
Em clima de revanche pela edição de 2006, quando o Colorado derrotou o Tricolor na final, a duas equipes apostam agora na experiência para este confronto. Quem sobreviver ao confronto será o encarregado por representar a América do Sul no Mundial da Fifa, mesmo se perder na final. Isso acontece porque o outro finalista é o Chivas, do México. O clube atua como convidado na Libertadores e é integrante da Concacaf, e não da Conmebol.
Além disso, a partida também servirá para mostrar qual clube merece o status de mais vitorioso e organizado do país.
No jogo de ida da semifinal, em Porto Alegre, o Inter venceu por 1 a 0 e tem agora a vantagem do empate. O Tricolor, por sua vez, precisa do triunfo por dois gols de diferença.
Na equipe paulista, o meia Marlos perde a vaga, deixando a linha de frente com Fernandão, Dagoberto e a grande esperança da torcida: Ricardo Oliveira, que fora impedido de participar da final de 2006 em função do fim de seu contrato.
Do outro lado, o Colorado também aposta em uma estrela de 2006. O volante Tinga já mostrou no Brasileirão que está bem para fazer a estreia na Libertadores.
Os dois treinadores comandaram atividades secretas nos dias que antecederam a partida, mas não devem promover grandes surpresas. Tinga e Ricardo Oliveira devem ser mesmo as principais novidades das equipes. Além disso, no São Paulo, Cleber Santana assume o posto de Richarlyson, lesionado.

Felpuda


Considerados “traíras” por terem abandonado o barco diante dos indícios da chegada da borrasca à antiga liderança, alguns pré-candidatos terão de se esforçar para escapar da, digamos assim, vingança, velha conhecida da dita figurinha. Dizem por aí que há promessas nesse sentido, para que os resultados dos “vira-casacas” nas urnas sejam pífios. Sabe aquela velha máxima: “Pisa. Mas, quando eu levantar, corre!” Pois é...