segunda, 16 de julho de 2018

São Paulo arma-se para estragar festa de Robinho

6 FEV 2010Por 11h:30
     

                Da redação

                O São Paulo fará de tudo para estragar a festa do Santos para Robinho no clássico deste domingo, às 16 horas (MS), na Arena Barueri, pela sétima rodada do Campeonato Paulista. A diretoria mandou e o técnico Ricardo Gomes coloca o time titular para tentar parar o estreante da tarde, que reforça o melhor ataque da competição, com 15 gols.
                "O ataque do Santos tem jogadores rápidos e habilidosos. Isso é o que há de pior para qualquer zagueiro", preocupou-se o técnico Ricardo Gomes. "Mas nós temos ótimos defensores". Se Robinho estreia, não será a única preocupação para a defesa do São Paulo Neymar está em excelente fase e tem tudo para ofuscar o brilho do astro da seleção brasileira.
                O menino, que recém completou 18 anos, arranca elogios dos adversários, que o temem até mais que Robinho. "Acho que hoje o Neymar está um degrau acima", afirmou o volante são-paulino Jean
                Com os titulares, Ricardo Gomes quer agora a liderança do Campeonato Paulista - se bater o Santos, vai tomar a posição do adversário. "Caso contrário, eu colocaria um time bem mesclado. Se o jogo fosse no sábado, quem jogou na quarta-feira (vitória sobre o São Caetano) não estaria relacionado porque a recuperação ainda não está completa. Mas nossa ideia é pôr o time principal", explicou o treinador. "O número de pontos é importante".
                No início da competição, contudo, Ricardo Gomes havia garantido que seria impossível usar no clássico a mesma equipe que jogará contra o Monterrey. "Preparar o time e visar Paulista e Libertadores, de imediato, não dá", disse. "Temos a preparação para a temporada toda. Não se pode queimar etapas, porque você paga depois. Então, até o dia 10 será dividido".
                Os titulares farão, em pleno início de temporada, três partidas no curto espaço de uma semana. Jean, que tem um dos melhores preparos físicos da equipe junto de Richarlyson, manifestou preocupação com a "obrigação" de atuar. "Se me pedirem para jogar, não vou negar, claro. Mas estou cansado". (do Estadão)
                

Leia Também