ESPORTES

Santos enfrenta o Avaí tentando reagir na Sul-Americana

Santos enfrenta o Avaí tentando reagir na Sul-Americana
18/08/2010 07:41 -


Florianópolis

Após perder o primeiro jogo por 3 a 1, na última semana, no Pacaembu, o Santos enfrenta novamente o Avaí, hoje, às 20h50min (MS), na Ressacada, procurando reverter o quadro negativo que se apresenta e avançar a segunda fase da Copa Sul-Americana.
O Peixe precisa ganhar por três gols de diferença para seguir adiante na competição. Caso os santistas vençam por 3 a 1, levam a decisão da vaga para as cobranças de pênaltis. Se o Alvinegro Praiano vencer por 4 a 2, 5 a 3 e assim por diante, estará classificado a etapa seguinte do torneio.
Para este confronto, Dorival deve contar com o retorno do goleiro Rafael, que havia sofrido um trauma na cabeça durante o jogo de ida entre os dois times. Liberado pelo departamento médico do clube, Rafael deve voltar a ser titular.
Além do gol, o Peixe também deve ter outras modificações em sua equipe. Marquinhos, que ficou no banco de reservas contra o Vitória, no último domingo, pelo Brasileirão, deve ganhar nova chance entre os titulares, ao lado de Paulo Henrique. No ataque, Neymar, recuperado de lesão na coxa direita, também deve voltar, se for liberado pelos médicos.
Para este duelo, o técnico Antônio Lopes deve manter a base da equipe que saiu vencedora no primeiro encontro entre os dois clubes. A única novidade em relação àquela partida deve ser o goleiro Renan, que não atuou naquele confronto, pois havia acabado de chegar de viagem com a seleção brasileira.
smaple image

Fique por dentro

Fique sempre bem informado com as notícias mais importantes do MS, do Brasil e do mundo, direto no seu e-mail.

Quero Receber

Felpuda


Princípio de "rebelião" política no interior de MS, fomentada por grupo interessado em tomar o poder, não prosperou. Quem deveria assumir o "comando da refrega", descobriu que, além da matemática ser ciência exata, há "prova dos nove". Explica-se: é segunda suplente, pois não conseguiu votos necessários nas últimas eleições, mas assumiu o cargo porque a titular licenciou-se, assim como o primeiro suplente. Caso contrarie a cúpula, seria aplicada a tal prova e, assim, "noves fora, nada".