Quinta, 22 de Fevereiro de 2018

Santos encara a Portuguesa de olho em recorde

6 MAR 2010Por 14h:30
     

        Da redação

        O Santos, com a classificação às semifinais bem encaminhada, enfrenta a Portuguesa, neste domingo, às 17 horas, no Canindé, determinado a aumentar a série de vitórias para se aproximar da quebra de recordes históricos e ter vantagens nas fases decisivas. Já são nove jogos seguidos pelo Campeonato Paulista, sem derrota ou empate, e 10 no total, com o 1 a 0 contra o Naviraiense, em Campo Grande, na Copa do Brasil.
        A nova geração dos Meninos da Vila precisa vencer neste domingo e em seguida derrotar o Palmeiras e Ituano, ambos na Vila Belmiro, para igualar a marca de 12 vitórias registrada nas edições de 1927, 1961 e 1968. O time é o líder com 31 pontos, quatro à frente do vice, o Santo André, e tem 11 de vantagem sobre São Caetano e Corinthians, que estão empatados na quinta colocação, com 20.
        "Não vou fazer rodízio de jogadores e nem priorizar uma competição em momento nenhum. Em primeiro lugar, porque ainda estamos atrás da classificação. E mesmo depois da vaga assegurada para disputar as semifinais, vamos procurar somar mais pontos para ter vantagem nos critérios de desempate nas fases decisivas", garantiu Dorival Júnior.
        Mesmo com a campanha irrepreensível da equipe, o treinador não descuida, perto de igualar o Santos de 1968, de Pelé, Toninho Guerreiro, Edu e outros ídolos. A falta sem bola de Paulo Henrique Lima, a menos de um minuto do clássico de domingo, e o chapéu de Neymar em Chicão com o jogo parado, além do descuido geral que por pouco não custou dois pontos, foram os argumentos ideais para que ele mostrasse o seu lado de disciplinador. O atacante e o meia foram repreendidos e o time inteiro foi cobrado com dureza.
        "Disciplina e seriedade são a base do meu trabalho", reiterou o comandante. Segunda, terça e quarta nenhum dos envolvidos nos lances polêmicos foi escalado para as coletivas de imprensa. A blindagem foi rigorosa para não dar novos argumentos para ataques verbais dos adversários.
        Time da moda e que joga o futebol mais bonito do Brasil são elogios que Dorival Júnior faz questão de deixar do lado do vestiário. "Não tenho o menor problema para evitar salto alto no grupo. Os jogadores, até os mais novos, sabem que embora a nossa campanha seja boa, vamos ter que evoluir para chegar forte à decisão. E antes de mais nada temos que conseguir a classificação", argumentou o treinador.
        Mas Dorival também sabe reconhecer o amadurecimento da garotada. Ele considerou a vitória diante do Paulista mais um teste para a sua equipe. "E não é apenas o time, mas o grupo todo tem dado respostas positivas. Quem entra tem correspondido, apesar de o grau de exigência ser maior a cada rodada", analisou o responsável pelo líder do Paulistão, confessando que até se daria por satisfeito com o empate em Jundiaí.
        A dúvida de Dorival Júnior para o jogo deste domingo é quanto ao escolhido para deixar o time para Robinho começar como titular. Já está decidido que o esquema será o 4-3-3 com Robinho, André e Neymar no ataque. Ele deve escalar Wesley na lateral direita e formar o meio de campo com Arouca, Marquinhos e Paulo Henrique Lima. (do Estadão)
        

Leia Também