Quarta, 13 de Dezembro de 2017

VENDA DE NEYMAR

Santos diz que pode acionar Barcelona

20 JAN 2014Por FOLHA PRESS14h:45

O presidente do Santos, Odílio Rodrigues, disse hoje que o clube alvinegro pode questionar o Barcelona para saber o destino do suposto dinheiro não declarado pago pela contratação do atacante Neymar em 2013.

O jornal "El Mundo" publicou hoje que o Barça pagou 95 milhões de euros (R$ 304 milhões) pela contratação de Neymar, e não os 57 milhões de euros (R$ 182 milhões) declarados oficialmente pelo seu presidente, Sandro Rosell.

Desse modo, de acordo com a nota, o Barça omitiu 38 milhões de euros (R$ 121 milhões) gastos na aquisição de Neymar. O diário diz ter em mãos documentos que comprovam o valor pago.

"Caso o Santos identifique que esse valor pago a mais pelo jogador faz parte da transferência, a gente pode acionar o jurídico para tentar ter acesso a esse valor a mais", afirmou Odílio.

O cartola disse ainda que, até o momento, desconhece esse dinheiro pago a mais pelo Barcelona e que o valor da venda de Neymar está registrado.

De acordo com o jornal "El Mundo", três comissões milionárias destinadas à família de Neymar permaneciam ocultas. Desse montante, 2 milhões de euros (R$ 6 milhões) correspondiam ao pai do jogador para buscar "novas promessas do Santos".

Outros 4 milhões de euros (R$ 13 milhões) foram destinados ao pai do atleta para um suposto trabalho de captação de "contratos de publicidade de empresas brasileiras". Além disso, mais 2,5 milhões foram reservados para fins sociais, com o intuito de ajudar "as crianças das favelas de São Paulo".

Dessa forma, se confirmadas as informações do jornal, Neymar é o jogador mais caro da história, já que o atacante português Cristiano Ronaldo custou 94 milhões de euros aos cofres do Real Madrid, um milhão a menos do que o brasileiro.

Logo após a venda do atacante, o Santos disse ter recebido "apenas" 17,1 milhões, ou R$ 47,5 milhões na conversão de moeda da época. Desse valor, o clube repassou R$ 19,7 milhões à DIS, empresa de Delcir Sonda, que detinha 45% dos direitos do atacante.
 

Leia Também