Segunda, 19 de Fevereiro de 2018

CONTRA CERRÓ PORTEÑO

Santos deixa vitória escapar nos acréscimos

3 MAR 2011Por ESTADÃO00h:05

O Santos voltou a tropeçar na Copa Libertadores. Na noite desta quarta-feira, o time brasileiro cedeu o empate ao Cerro Porteño, por 1 a 1, nos acréscimos, na Vila Belmiro, e segue sem vencer na competição. Os dois gols da partida foram marcados em cobranças de pênalti. Elano balançou as redes pelo time santista.

Com seu segundo empate, o Santos soma dois pontos, na terceira colocação do Grupo 5. O líder é o Cerro, com quatro. A segunda posição é do Colo Colo, com três. O Deportivo Táchira apresenta apenas um ponto, na lanterna.

Curiosamente, Santos e Cerro foram comandados por técnicos interinos nesta noite. Após a demissão do técnico Adilson Batista, no domingo, o time santista foi liderado por Marcelo Martelotte. O time paraguaio contou com Javier Torrente, que será substituído pelo ex-volante do Grêmio Leonardo Astrada a partir desta quinta-feira.

Sob pressão

Pressionado pela estreia frustrante, o Santos entrou em campo nervoso nesta quarta. Errava muitos passes no meio-campo, não cadenciava o jogo e nem ameaçava o gol paraguaio. No primeiro lance de perigo, Diogo recebeu boa enfiada pela direita, mas deixou a bola escapar e desperdiçou a chance.

Maior aposta do time para o meio-campo, Elano repetiu a atuação discreta da estreia. Não conseguia movimentar a armação, que acabou ficando sob a responsabilidade de Neymar e Zé Eduardo. Órfãos de um "maestro" no setor criativo, os dois atacantes vinham iniciar as jogadas no campo de defesa, enquanto Diogo investia contra a defesa mais na vontade do que na técnica.

Diante dessas limitações, o Santos viu o Cerro ser mais objetivo nos contra-ataques, principalmente com os avanços do jovem habilidoso Iturbe. Ele penetrava na defesa santista com facilidade, gerando boas situações de gol. Aos 37, fez bela jogada individual pela direita e deixou Nuñez pronto para marcar. O meia cabeceou para fora, à direita do gol. Antes, o Cerro já havia levado perigo em cobrança de falta do mesmo Nuñez. Rafael fizera grande defesa.

O Santos só melhorou nos minutos finais da etapa. Neymar e Zé Eduardo encontraram melhor entrosamento no ataque e assustaram a defesa rival. Aos 42, os dois trocaram passes com agilidade na entrada da área e Neymar finalizou em cima do marcador, em uma rara jogada rápida do time brasileiro na primeira etapa. "Eles estão fechados. Eles sabem que é uma partida difícil. Vamos continuar tentando. Tivemos duas ou três triangulações e quase chegamos", declarou Diogo, na saída para o intervalo.

Na volta dos vestiários, o time santista manteve o bom ritmo, foi mais ofensivo e não demorou para chegar ao gol. Após rápida tabela com Neymar, Diogo fez lançamento para Zé Eduardo, que foi derrubado na área por Barreto: pênalti. Elano bateu firme no canto direito do goleiro e mandou para as redes, aos 9 minutos.

Com a vantagem no placar, o Santos reduziu a velocidade no ataque e deixou o Cerro reequilibrar a partida. Aos 23, Nuñez quase empatou. Ele bateu falta com perigo e quase surpreendeu o goleiro Rafael.

Depois do susto, o Santos voltou ao jogo, retomou a presença no ataque e desperdiçou boas chances de ampliar o placar. Léo, em bonita jogada individual, quase marcou o segundo, aos 35. Dois minutos depois, o mesmo lateral avançou pela esquerda e serviu Neymar, que, dentro da área, parou na defesa. Aos 41, foi a vez de Jonathan perder boa oportunidade de marcar e selar a vitória.

As chances perdidas fizeram falta nos acréscimos. Aos 45, Edu Dracena fez falta em Bareiro dentro da área e o árbitro assinalou o pênalti. Nani foi para a cobrança e decretou o empate, aos 47.

O Santos volta a campo pela Libertadores no dia 16 para enfrentar o Colo Colo, em Santiago. O Cerro, por sua vez, só jogará no dia 4 de abril, contra o Deportivo Táchira, em San Cristobal, na Venezuela.

SANTOS - 1 -  Rafael; Jonathan, Edu Dracena, Durval e Léo; Rodrigo Possebon (Adriano), Danilo e Elano; Zé Eduardo (Keirrison), Diogo (Alex Sandro) e Neymar. Técnico: Marcelo Martelotte (interino).

CERRO PORTEÑO - 1 - Diego Barreto; Ivan Piris, Pedro Benítez, Luis Cardozo (Freddy Bareiro) e Lautaro Fórmica (Ivan Torres); Jorge Núñez, Luis Cáceres (Júlio dos Santos), Rodrigo Burgos e César Benítez; Iturbe e Roberto Nanni. Técnico: Blas Cristaldo (interino).

Gols - Elano (pênalti), aos 9, e Nani (pênalti), aos 47 minutos do segundo tempo; Cartões amarelos - Elano, Léo, Zé Eduardo, Neymar (Santos); Formica, Burgos, Barreto, Torres (Cerro Porteño); Árbitro - Héctor Baldassi (Fifa-Argentina); Público - 6.735 pagantes;
Renda - Não disponível;  Local - Estádio da Vila Belmiro. 

  

Leia Também