Fale conosco no WhatsApp

Por sua segurança, coloque seu nome e número de celular para contatar um assessor digital por Whatsapp.

CONTRA CERRÓ PORTEÑO

Santos deixa vitória escapar nos acréscimos

3 MAR 11 - 00h:05ESTADÃO

O Santos voltou a tropeçar na Copa Libertadores. Na noite desta quarta-feira, o time brasileiro cedeu o empate ao Cerro Porteño, por 1 a 1, nos acréscimos, na Vila Belmiro, e segue sem vencer na competição. Os dois gols da partida foram marcados em cobranças de pênalti. Elano balançou as redes pelo time santista.

Com seu segundo empate, o Santos soma dois pontos, na terceira colocação do Grupo 5. O líder é o Cerro, com quatro. A segunda posição é do Colo Colo, com três. O Deportivo Táchira apresenta apenas um ponto, na lanterna.

Curiosamente, Santos e Cerro foram comandados por técnicos interinos nesta noite. Após a demissão do técnico Adilson Batista, no domingo, o time santista foi liderado por Marcelo Martelotte. O time paraguaio contou com Javier Torrente, que será substituído pelo ex-volante do Grêmio Leonardo Astrada a partir desta quinta-feira.

Sob pressão

Pressionado pela estreia frustrante, o Santos entrou em campo nervoso nesta quarta. Errava muitos passes no meio-campo, não cadenciava o jogo e nem ameaçava o gol paraguaio. No primeiro lance de perigo, Diogo recebeu boa enfiada pela direita, mas deixou a bola escapar e desperdiçou a chance.

Maior aposta do time para o meio-campo, Elano repetiu a atuação discreta da estreia. Não conseguia movimentar a armação, que acabou ficando sob a responsabilidade de Neymar e Zé Eduardo. Órfãos de um "maestro" no setor criativo, os dois atacantes vinham iniciar as jogadas no campo de defesa, enquanto Diogo investia contra a defesa mais na vontade do que na técnica.

Diante dessas limitações, o Santos viu o Cerro ser mais objetivo nos contra-ataques, principalmente com os avanços do jovem habilidoso Iturbe. Ele penetrava na defesa santista com facilidade, gerando boas situações de gol. Aos 37, fez bela jogada individual pela direita e deixou Nuñez pronto para marcar. O meia cabeceou para fora, à direita do gol. Antes, o Cerro já havia levado perigo em cobrança de falta do mesmo Nuñez. Rafael fizera grande defesa.

O Santos só melhorou nos minutos finais da etapa. Neymar e Zé Eduardo encontraram melhor entrosamento no ataque e assustaram a defesa rival. Aos 42, os dois trocaram passes com agilidade na entrada da área e Neymar finalizou em cima do marcador, em uma rara jogada rápida do time brasileiro na primeira etapa. "Eles estão fechados. Eles sabem que é uma partida difícil. Vamos continuar tentando. Tivemos duas ou três triangulações e quase chegamos", declarou Diogo, na saída para o intervalo.

Na volta dos vestiários, o time santista manteve o bom ritmo, foi mais ofensivo e não demorou para chegar ao gol. Após rápida tabela com Neymar, Diogo fez lançamento para Zé Eduardo, que foi derrubado na área por Barreto: pênalti. Elano bateu firme no canto direito do goleiro e mandou para as redes, aos 9 minutos.

Com a vantagem no placar, o Santos reduziu a velocidade no ataque e deixou o Cerro reequilibrar a partida. Aos 23, Nuñez quase empatou. Ele bateu falta com perigo e quase surpreendeu o goleiro Rafael.

Depois do susto, o Santos voltou ao jogo, retomou a presença no ataque e desperdiçou boas chances de ampliar o placar. Léo, em bonita jogada individual, quase marcou o segundo, aos 35. Dois minutos depois, o mesmo lateral avançou pela esquerda e serviu Neymar, que, dentro da área, parou na defesa. Aos 41, foi a vez de Jonathan perder boa oportunidade de marcar e selar a vitória.

As chances perdidas fizeram falta nos acréscimos. Aos 45, Edu Dracena fez falta em Bareiro dentro da área e o árbitro assinalou o pênalti. Nani foi para a cobrança e decretou o empate, aos 47.

O Santos volta a campo pela Libertadores no dia 16 para enfrentar o Colo Colo, em Santiago. O Cerro, por sua vez, só jogará no dia 4 de abril, contra o Deportivo Táchira, em San Cristobal, na Venezuela.

SANTOS - 1 -  Rafael; Jonathan, Edu Dracena, Durval e Léo; Rodrigo Possebon (Adriano), Danilo e Elano; Zé Eduardo (Keirrison), Diogo (Alex Sandro) e Neymar. Técnico: Marcelo Martelotte (interino).

CERRO PORTEÑO - 1 - Diego Barreto; Ivan Piris, Pedro Benítez, Luis Cardozo (Freddy Bareiro) e Lautaro Fórmica (Ivan Torres); Jorge Núñez, Luis Cáceres (Júlio dos Santos), Rodrigo Burgos e César Benítez; Iturbe e Roberto Nanni. Técnico: Blas Cristaldo (interino).

Gols - Elano (pênalti), aos 9, e Nani (pênalti), aos 47 minutos do segundo tempo; Cartões amarelos - Elano, Léo, Zé Eduardo, Neymar (Santos); Formica, Burgos, Barreto, Torres (Cerro Porteño); Árbitro - Héctor Baldassi (Fifa-Argentina); Público - 6.735 pagantes;
Renda - Não disponível;  Local - Estádio da Vila Belmiro. 

  

Esse artigo foi útil para você?
Os comentários abaixo são opiniões de leitores e não representam a opinião deste veículo.

Leia Também

ANOS 90

Com torneio como opção por vagas no Mundial, CBF é contra volta da Supercopa

Torneio reunia os campeões da Copa Libertadores
ESTADOS E MUNICÍPIOS

Bolsonaro sanciona lei que divide recursos do megaleilão do petróleo

Capital pede mais investimentos na área de infraestrutura
GOVERNO PRESENTE

Capital pede mais investimentos na área de infraestrutura

Presidente do Ibama diz que derramamento de óleo é situação inédita
PRAIAS DO NORDESTE

Presidente do Ibama diz que derramamento de óleo é situação inédita

Mais Lidas

Gostaria-mos de saber a sua opinião