Campo Grande - MS, quarta, 15 de agosto de 2018

MURICY

Santos apresenta defesa mais sólida

25 ABR 2011Por G100h:01

Desde o ano passado, o Santos chama a atenção pela grande quantidade de gols que marca, mas também pela vulnerabilidade de sua defesa. Aparentemente, esse desequilíbrio começa a acabar com a chegada do técnico Muricy Ramalho. São os próprios jogadores quem ressaltam essa mudança. O Peixe continua perseguindo gols, mas já não é uma busca desenfreada, descuidada. É algo calculado.

Em 2011, até a chegada de Muricy, o Peixe havia disputado 21 partidas. Marcou 43 gols (média de 2,04 por jogo), mas sofreu 26 (média de 1,23/jogo). Com Muricy a média de gols marcados diminuiu pouco, mas a de tentos sofridos despencou. Em cinco partidas sob o comando do novo técnico, o Peixe marcou nove gols (1,8/jogo) e levou apenas dois (0,4/jogo).

- Nosso time sempre foi muito ofensivo. Mas agora estamos sabendo segurar mais o jogo. Para a gente, 1 a 0 é 10 a 0 - afirma o atacante Neymar.

Pra gente, 1 a 0 é 10 a 0"NeymarMuricy explica que tudo o que fez foi acertar o posicionamento do time. Ele afirma que não tem a menor intenção de diminuir o ímpeto santista por gols. Só está tentando tornar o time menos vulnerável. Em sua avaliação, tem conseguido.

- Continuamos atacando, mas sem levar contra-ataques. Já não somos tão expostos como antes. Aprendemos a jogar sem a bola - explica Muricy.

O comandante alvinegro ressalta principalmente a postura de seus dois laterais, Jonathan e Léo, na mudança de rumos do plano tático alvinegro. Ele conta que fez os dois entenderem que são jogadores de marcação e que só devem subir ao ataque esporadicamente. Ou como se diz no "boleirês": só devem atacar na boa.

- Aqui no Brasil, o pessoal tem a mania de achar que lateral tem de atacar toda hora. Não é assim. Lateral é jogador de defesa. Primeiro, tem de ajudar na marcação, fechando na cobertura, bloqueando os pontas. Se houver oportunidade, ele sobe - explica.

Escalação repetida

Contra o América-MEX, na próxima quarta-feira, pelas oitavas de final da Taça Libertadores, na Vila Belmiro, Muricy terá a chance de repetir mais uma vez a escalação. Será o terceiro jogo consecutivo com Rafael, Jonathan, Edu Dracena, Durval e Léo; Arouca, Danilo, Elano e Ganso; Neymar e Zé Eduardo.

O técnico comemora. Ele sabe que é muito raro conseguir manter a escalação numa sequência de jogos complicados e decisivos. Com esses 11, o Santos venceu o Deportivo Táchira-VEN, por 3 a 1, quarta passada, garantindo vaga nas oitavas da competição continental, e bateu a Ponte Preta, por 1 a 0, sábado, triunfo que levou o Peixe à semifinal do Paulista.

- É muito bom poder repetir, pois damos entrosamento, uma cara ao time. Pena que isso é muito difícil de acontecer, pois os jogos não permitem.

Leia Também