Santander é eleito melhor banco do mundo por revista

Santander é eleito melhor banco do mundo por revista
06/07/2012 03:00 - terra


O Banco Santander foi considerado o melhor banco do mundo em 2012 e a CaixaBank, o melhor banco da Espanha, em eleição promovida pela revista financeira britânica "Euromoney" e divulgada em uma cerimônia de gala nesta quinta-feira em Londres.

É a terceira vez em sete anos que a entidade presidida por Emilio Botín recebe este reconhecimento da publicação britânica especializada em finanças internacionais, enquanto para a CaixaBank, transformada em banco há um ano, trata-se da primeira vez que é destacada na lista.

No caso do Santander, a "Euromoney" também nomeou essa entidade como melhor banco em cinco de seus principais mercados: Argentina, México, Reino Unido (Santander UK), Polônia (Bank Zachodni WBK) e Portugal.

A publicação britânica ressaltou a capacidade do Banco Santander de gerar lucros e a solidez de seu balanço, em plenas turbulências financeiras na Espanha e na Europa.

Quanto à CaixaBank, enfatizou-se a solvência financeira da entidade catalã, com mais de 13 milhões de clientes, assim como seu crescimento nos últimos anos, até contar atualmente com ativos de 342 bilhões de euros.

O jantar desta noite em Londres contou com a presença de destacados dirigentes financeiros de todo o mundo para recolher os prêmios da revista britânica especializada em bancos e finanças internacionais, com 145 mil leitores no mundo.

No último discurso, Emilio Botín, presidente do Banco Santander, ressaltou a solvência e a ampla "diversificação geográfica" da entidade. "Ser muito forte em capital e liquidez continuará sendo uma prioridade nos próximos anos", indicou.

Botin agradeceu especialmente que o prêmio mais importante da noite tenha sido concedido a um banco europeu devido ao momento de crise que atinge a Europa.

smaple image

Fique por dentro

Fique sempre bem informado com as notícias mais importantes do MS, do Brasil e do mundo, direto no seu e-mail.

Quero Receber

Felpuda


Princípio de "rebelião" política no interior de MS, fomentada por grupo interessado em tomar o poder, não prosperou. Quem deveria assumir o "comando da refrega", descobriu que, além da matemática ser ciência exata, há "prova dos nove". Explica-se: é segunda suplente, pois não conseguiu votos necessários nas últimas eleições, mas assumiu o cargo porque a titular licenciou-se, assim como o primeiro suplente. Caso contrarie a cúpula, seria aplicada a tal prova e, assim, "noves fora, nada".