Fale conosco no WhatsApp

Por sua segurança, coloque seu nome e número de celular para contatar um assessor digital por Whatsapp.

Santa Casa fica sob intervenção até 2013

18 MAI 10 - 06h:47
FLÁVIO PAES

Prefeitura e o Estado manterão até 2013 a intervenção na Santa Casa, quando então o hospital será devolvido à entidade mantenedora, a Associação Beneficente Campo Grande. A decisão foi tomada ontem pela terceira turma Cível do Tribunal de Justiça de Mato Grosso do Sul( TJ/MS). Por dois votos a um, os desembargadores  anularam a decisão de primeira instância que determinava o fim imediato da intervenção.

Segundo o procurador da prefeitura, Valdecir Balbino, “a decisão traz tranquilidade para a população, funcionários e prestadores de serviço, dando legitimidade à gestão que está sendo feita”, embora ainda haja possibilidade de recurso.

Em abril do ano passado, o então juiz da Vara de Direitos Difusos, Coletivos e Individuais Homogêneos, Dorival Moreira dos Santos, que foi promovido a desembargador, havia determinado o fim da intervenção e a devolução imediata do hospital. A prefeitura conseguiu um efeito suspensivo que ontem foi confirmado no mérito.  
Na época da sentença em primeira instância, o juiz justificou a decisão apresentando informações que apontavam ineficiência das ações da junta interventora. Ainda cabe recurso a esta decisão do Poder Judiciário.

Controvérsia
O advogado da antiga associação mantenedora, Esacheu Nascimento, afirma que neste período de intervenção a dívida do hospital subiu de R$ 38 milhões para mais de R$ 100 milhões. O prefeito Nelsinho Trad garante que esses números são “mentirosos”. Uma auditoria realizada logo depois da intervenção levantou um débito de R$ 77 milhões, considerando R$ 27 milhões, valor referente a impostos e encargos trabalhistas (FGTS, Imposto de Renda) descontados dos funcionários e não recolhidos, quatro meses de salários dos médicos (referentes a 2004), R$ 12 milhões com os bancos.

 “Só ano passado conseguimos retomar os convênios com os órgãos públicos estaduais e federais, para repasse de recursos, porque o hospital não tinha certidão negativa da Receita Federal”, lembra o prefeito. “Eles chegaram a antecipar R$ 1 milhão da Unimed e Cassems, referente a um ano de faturamento dos dois convênios”.
Os contratos de terceirização foram revistos. A Santa Casa retomou laboratórios, banco de sangue e os exames por imagens. Está sendo renegociado o contrato com a oncologia.  

Investimento
Está sendo investido R$ 1,2 milhão na reforma e ampliação do Centro de Tratamento Intensivo; R$ 1,5 milhão no pronto-socorro , além de R$ 7 milhões para a construção do posto do trauma. “Estamos com 680 leitos. Há um projeto de abrir uma ala neonatal no 6º andar”. Antes da intervenção, conforme o prefeito, se considerava maca em corredor como leito. “De fato, a Santa Casa tem capacidade para 725 leitos”, assegura.     
Os comentários abaixo são opiniões de leitores e não representam a opinião deste veículo.

Leia Também

BRASIL

Malafaia diz que atribuir vitória de Bolsonaro a Olavo é 'simplesmente ridículo'

BRASIL

Brasil e EUA assinam acordo que permite uso comercial de Alcântara

BRASIL

Witzel anuncia rompimento de contrato de concessão do Maracanã

PDV deve priorizar servidor com menos tempo de serviço
DEMISSÃO VOLUNTÁRIA

PDV deve priorizar servidor com menos tempo de serviço

Mais Lidas