Samsung dá Galaxy S III a usuário por agradecimento a desenho

Samsung dá Galaxy S III a usuário por agradecimento a desenho
31/08/2012 04:00 - terra


Um canadense tirou a sorte grande depois que uma brincadeira que fez com a Samsung virou sucesso na web. Em maio deste ano, Shane Bennet pediu à companhia sul-coreana um Galaxy S III - o smartphone topo de linha da companhia - de presente ao enviar uma mensagem e um desenho de um dragão para a empresa pelo Facebook. Na época, ele recebeu de volta uma piada: um desenho de um canguru andando de uniciclo. O caso, porém, fez tanto sucesso na rede que nesta semana ele conseguiu o telefone personalizado de presente.

O Galaxy S III que o canadense ganhou veio personalizado com o desenho do dragão na caixa, no papel de parede e na capa do aparelho. "Como um símbolo de nossa gratidão pela mídia positiva que nos ajudou a atingir no início desta primavera, gostaríamos de agradecer a você com esse legal e único Samsung Galaxy S III. Este é o único S III personalizado no Canadá, e nós esperamos que você goste tanto quanto nós observando a história do dragão e do Canguru virando viral", dizia uma carta que acompanhava o aparelho.

A mensagem que Bennet enviou originalmente à Samsung dizia que ele tinha vários produtos da companhia e que eles estava "pensando se não poderia ter um Galaxy S III de graça". "Eu anexei uma imagem de um dragão que eu acabei de desenhar pra você. Tenha um bom dia!", encerrava a mensagem, que levava o desenho do dragão anexada.

A mensagem fez sucesso na internet depois da resposta da Samsung, que disse que não poderia dar um aparelho a cada um que pedisse. "Isso dito, seu desenho do dragão é épico. então estamos retornando o favor. Por favor, olhe no anexo o desenho de um canguru em um uniciclo", dizia a mensagem que se espalhou pela rede.

smaple image

Fique por dentro

Fique sempre bem informado com as notícias mais importantes do MS, do Brasil e do mundo, direto no seu e-mail.

Quero Receber

Felpuda


Princípio de "rebelião" política no interior de MS, fomentada por grupo interessado em tomar o poder, não prosperou. Quem deveria assumir o "comando da refrega", descobriu que, além da matemática ser ciência exata, há "prova dos nove". Explica-se: é segunda suplente, pois não conseguiu votos necessários nas últimas eleições, mas assumiu o cargo porque a titular licenciou-se, assim como o primeiro suplente. Caso contrarie a cúpula, seria aplicada a tal prova e, assim, "noves fora, nada".