Quarta, 21 de Fevereiro de 2018

Rita Vieira

Salto imobiliário de 450% muda vizinhança

17 JAN 2011Por Carlos Henrique Braga00h:00

No Rita Vieira, cerca de oito quilômetros distante do centro de Campo Grande, a valorização alcança 450%. Os lotes de R$ 10 mil sem interessados agora são os de R$ 55 mil com muita gente de olho. Como no resto da cidade, o tamanho é de 12 X 30 metros. As casas encolheram de 300 m² para 80 m², ou menos, e saem pelo valor médio de R$ 150 mil.

Um terreno de esquina vale até R$ 130 mil, segundo o corretor Ítalo Dueck, que chegou ao bairro em 2003. Ele confirma a "elitização" do lugar e a dificuldade em encontrar terrenos, embora o "boom" de 2007, ano da chegada do asfalto, esteja perdendo força.

Os novos moradores (microempresários, funcionários públicos, profissionais liberais, etc.) foram levados pelo asfalto da Avenida Três Barras, que garantiu ao lugar atendimento às necessidades básicas, como transporte coletivo. "Antes, nem táxi vinha até aqui", lembra, sem saudade, o vendedor de materiais de construção Hélio Xavier.

Sua casa, comprada por R$ 14 mil nos anos 90, hoje vale R$ 150 mil. A vizinhança não é mais a do tempo sem asfalto, é "mais fina", classifica Xavier. O porteiro Rosan Vieira ficou surpreso com a nova cara do bairro. "Moro aqui há 20 anos e nunca tinha visto nada igual", conta.

A operadora de caixa Joyce Ortega nunca atendeu tantos clientes no mercado do bairro como depois da pavimentação da Três Barras. Ela mora no vizinho Cristo Redentor, também atendido pela avenida que tornou possível a chegada dos ônibus. Há dois anos, ela precisava caminhar 700 metros até o ponto, que hoje fica na esquina de sua casa. (CHB)

Leia Também