Sábado, 17 de Fevereiro de 2018

CARRO

Salão do automóvel atrai mulheres

7 NOV 2010Por FOLHA ONLINE00h:01

Nem o sábado chuvoso nem o trânsito intenso nas imediações do Pavilhão de Exposições do Anhembi, na zona norte de São Paulo, foram suficientes para desanimar milhares de visitantes que decidiram passar pelo Salão Internacional do Automóvel.

Corredores lotados marcam o sábado do último fim de semana do evento. Até o término do evento, neste domingo, cerca de 750 mil pessoas deverão ter passado pela exposição, ao longo de 12 dias. O público supera os 600 mil visitantes estimados.

A participação feminina chamou a atenção dos organizadores. Segundo Juan Pablo De Vera, diretor do Salão, elas representaram cerca de 40% dos visitantes ao longo de todos os dias de evento.

"A participação das mulheres triplicou nos últimos dez anos e reflete o que está acontecendo no próprio mercado, com o público consumidor feminino crescendo tanto nas compras como na decisão de aquisição de automóveis", diz.

É o caso da assistente financeira Karen Demarchi, 22. Mãe de uma menina de 2 anos, ela faz questão de participar da compra dos carros da família.

"Compramos um Fiesta há dois anos e na época, fizemos o test drive juntos porque eu também queria sentir o carro", afirma.

No salão, ela veio para ver principalmente os carros de luxo, assim como a maioria dos visitantes. Entre os modelos mais procurados estão as marcas Bentley, Aston Martin, Ferrari e Bugatti. Veículos híbridos, movidos a gasolina e eletricidade, também chamaram a atenção do público que fez fila para fotografá-los.

No total, 450 modelos de automóveis de 42 montadoras participaram da feira. Os 180 expositores incluem também acessórios, som, antenas, pneus, rodas, materiais de limpeza e veículos com carrocerias especiais.

"O aumento do poder de compra dos brasileiros assim como a realidade econômica favorável contribuíram para o recorde de público", afirma De Vera.

Boa parte dos visitantes, porém, considerou alto o preço do ingresso e do estacionamento. O assistente jurídico Fernando da Costa e Silva, 29, veio a feira com outros dois amigos para ver os modelos esportivos e os acessórios. Além dos R$ 40 desembolsados, teria que pagar mais R$ 25 pelo estacionamento oficial.

"Depois de passar quase uma hora só para chegar nas redondezas do Anhembi, escolhemos um estacionamento alternativo por R$ 10", afirmou.

Para as montadoras, a feira serviu como um grande laboratório vivo para sentirem a percepção dos consumidores, especialmente nos modelos compactos que estão previstos para chegar as ruas no próximo ano. O evento consumiu investimentos de R$ 30 milhões e a estimativa é que tenha injetado recursos da ordem de R$ 100 milhões na economia paulistana.

REDES SOCIAIS

A organização do Salão estima que o evento foi citado ou exposto por cerca de 4 milhões de usuários de redes sociais.

A conta do Twitter oficial do evento totalizou 860 post e reuniu 7468 seguidores. O perfil do Salão no Facebook somou 5600 fãs e, no Orkut, 11 767 pessoas integraram a comunidade.

"As redes sociais permitiram uma interação grande com os visitantes e foram um termômetro importante para avaliar a comunicação do evento", afirma De Vera.

Leia Também