Sábado, 17 de Fevereiro de 2018

libertada

Sakineh está livre, diz ONG

10 DEZ 2010Por AGÊNCIA ESTADO, ROMA00h:55

A iraniana Sakineh Mohammadi-Ashtiani, a mulher de 43 anos condenada à morte por apedrejamento no Irã, cuja sentença mais tarde foi comutada, foi libertada e deixou a prisão junto ao filho e ao advogado. A informação partiu do Comitê Internacional contra as Execuções, organização com sede na Alemanha.

Nos últimos meses, as autoridades iranianas disseram que a condenação à morte por lapidação, por causa de um suposto adultério, foi suspensa, mas que a mulher estava sendo investigada por ter sido acusada de haver participado do assassinato do marido. Ela corria o risco de morrer na forca. Aparentemente, Sakineh Ashtiani foi libertada nos últimos dias e fotos divulgadas pelo governo do Irã mostram ela com seu filho, Sajjad, em um local não identificado em Tabriz, no Azerbaijão iraniano.

A sentença contra Sakineh causou condenação internacional e gerou intervenções diplomáticas de vários governos ocidentais, bem como do Vaticano. Em julho, Teerã informou que a sentença à morte por apedrejamento havia sido suspensa, à espera de uma revisão total do caso. Sakineh, de 43 anos, é uma mãe de dois filhos. Inicialmente, ela foi condenada duas vezes à morte, por dois tribunais da cidade de Tabriz, noroeste do Irã, em julgamentos de 2006. 

Leia Também