Fale conosco no WhatsApp

Por sua segurança, coloque seu nome e número de celular para contatar um assessor digital por Whatsapp.

Campo Grande - MS, quinta, 15 de novembro de 2018

MARTE

Saiba como os dados do Curiosity são transmitidos para a Terra

21 AGO 2012Por TECHTUDO00h:00

Você já deve ter ouvido falar bastante do robô Curiosity, que está hoje perscrutando os mistérios de Marte. Dentre as muitas curiosidades sobre a missão, está a forma pela qual ela se conecta com a Nasa para enviar seus dados, vídeos e fotos. Basicamente, a Curiosity usa dois satélites na órbita marciana para mandar informação diariamente.

Curiosity, sozinho, é incapaz de mandar informações porque suas antenas não são potentes o suficiente. E se o projeto tivesse antenas grandes e poderosas o bastante para enviar dados à Terra, o robô seria muito pesado e ainda mais caro de se transportar para o planeta. Por conta disso, a Nasa usa dois satélites em marte: Odissey e Mars Reconnaissance Orbiter.

De Marte aos satélites
O Curiosity envia dados para os dois satélites. O robô tem oito minutos para fazer isso, que é o tempo de trânsito dos dois satélites sobre suas antenas. Odissey e MRO podem receber de 100 a 250 megabits de informação nesse período (como comparação, no tempo da Internet com conexão discada, todo mundo comemorava uma banda de 56 kilobits).

Dos satélites à Terra
Com os dados prontos para serem retransmitidos, o MRO, satélite de 2005, seleciona a taxa de transferência para a Terra, que pode chegar a até 2 megabits por segundo. Já o Odissey, de 2001, pode transmitir informações em velocidades de 128 ou 256 kilobits. A diferença de velocidade se dá pelo fato de que o MRO é mais novo e, portanto, dispõe de tecnologias mais avançadas. Em comparação, o Curiosity pode emitir dados com velocidades de 500 bits a 32 kilobits por segundo – mais lento que a Internet discada, por exemplo.

A partir daí as informações são transmitidas para nosso planeta. Elas viajam 225 milhões de quilômetros e levam 14 minutos, em média, para realizarem o percurso. Os dados são recebidos pelo Deep Space Network, da Nasa. A rede é composta por três enormes antenas: uma delas no deserto de Mojave, nos Estados Unidos, uma em Canberra, na Austrália, e a terceira em Madri, na Espanha.

Os satélites em Marte podem enxergar a Terra por aproximadamente 11 horas (dois terços de suas órbitas de 16 horas em torno do planeta vermelho). É nesse espaço de tempo que as informações Marte-Terra e Terra-Marte são trocadas. No caso daquelas que são enviadas para cá, as velocidades impressionam: o MRO pode mandar informação a 6 megabits por segundo. Já o Odissey, mais antigo, é mais lento que a Internet discada, enviando dados a 12 kilobits por segundo.

Os comentários abaixo são opiniões de leitores e não representam a opinião deste veículo.

Leia Também