Fale conosco no WhatsApp

Por sua segurança, coloque seu nome e número de celular para contatar um assessor digital por Whatsapp.

DECORAÇÃO

Saiba como adaptar a casa para seu bichinho de estimação

7 AGO 12 - 00h:00terra

Eles já ganharam carrinhos de passeio e calçados para não sujar as patas, e podem se deliciar com iguarias até então presentes somente no cardápio humano, como sorvete e cerveja. Mas o tratamento correto dos animais de estimação não deve se limitar a mimos desse tipo. É preciso pensar neles também ao planejar o imóvel.

A primeira regra, de acordo com a arquiteta Flávia Soares, de Belo Horizonte, é tentar aos itens de segurança. “É a mesma preocupação que se tem com as crianças pequenas. Não é correto expor os materiais de limpeza e nem deixar as tomadas sem tampões e as janelas livres, sem telas ou outro tipo de proteção contra acidentes”, comenta. “Essas são mudanças necessárias que devem ser feitas em todas as residências, seja qual for a área”, completa.

O próximo passo, segundo ela, é integrar as medidas de segurança aos elementos estéticos. “Uma boa ideia é usar móveis, como um armário rústico, para montar a casinha dos bichos. Isso faz com que a funcionalidade não destoe da decoração nem tome muito espaço”, sugere. Quem dispõe de uma área maior pode montar um cantinho especial. “A varanda é uma das opções, já que é arejada e costuma ser grande. Por ali, é possível colocar os brinquedos e os espaços para o animal dormir e fazer as necessidades”.

O arquiteto Rico Mendonça, de Florianópolis, comenta que é possível fazer mudanças na área de serviço, de modo a facilitar, principalmente, a limpeza. “Você pode colocar o rebaixo do piso de maneira a deixar escoar os dejetos líquidos em direção ao ralo. Mas antes é preciso acostumar o cachorro ou gato a usar aquele espaço”, lembra. Ele também sugere que os pisos da casa ou do apartamento sejam de cerâmica e de PVC, ambos com um diferencial térmico que agrada aos animais nos dias quentes. “Um piso de madeira, por exemplo, dificulta o caminhar dos bichos, pois eles escorregam com facilidade nesse tipo de material”.

Outra dica de Flávia é evitar o uso de alguns itens decorativos. “Os tapetes e os sofás revestidos com tecidos mais finos não combinam muito com a rotina dos animais. Eles gostam de se esfregar e de arranhar esses materiais”. Quem não quer abrir mão dessas peças pode optar por capas de tecidos sintéticos nos assentos e por revestimentos de metal nos pés das mesas e cadeiras. “Isso vai de acordo com o gosto do morador e com o comportamento do animal”, aponta.

Os comentários abaixo são opiniões de leitores e não representam a opinião deste veículo.

Leia Também

COPA AMÉRICA

Tite promove o retorno de Arthur à seleção para jogo com a Venezuela

IMPORTAÇÃO

Bolsonaro diz que avalia reduzir para 4% imposto sobre produtos de TI

REUNIÃO DO G20

Japão propõe mecanismo internacional para descarte de resíduo nuclear

CUIABÁ

Tribunal condena militar que tentou vender 120 quilos de carne do batalhão

Mais Lidas