Especial Coronavírus (COVID-19) - Leia notícias e saiba tudo sobre o assunto. Clique aqui.

Sai crédito para a compra de gado que foge da cheia do Pantanal

Sai crédito para a compra de gado que foge da cheia do Pantanal
19/04/2010 08:39 -


Em função do ciclo de cheias e secas no Pantanal, os pecuaristas pantaneiros - a pecuária é a principal exploração econômica na região - são obrigados a movimentar os rebanhos, retirando-os das regiões mais baixas e providenciando pastos para apascentamento temporário em áreas não sujeitas a inundações. Depois, passada a fase mais crítica, precisam retornar o gado até suas propriedades.
Essa movimentação, essas providências, que são maiores ou menores, dependendo do nível da cheia a cada ano, têm custos para o produtor. Só para que se tenha uma ideia, sem falar no transporte de milhares de cabeças, o aluguel temporário de um pasto custa hoje de 10 a 15 por cento do preço da arroba bovina por mês e por cabeça de gado.
Muitas vezes, por conta de todas as dificuldades, o pecuarista pantaneiro não consegue fazer a retirada do gado e acaba sendo obrigado a vender o rebanho por preço muito abaixo das cotações de mercado, amargando prejuízos.
Frente a essa realidade, de dias difíceis, com o produtor tendo dificuldades de caixa pela baixa remuneração paga pelo gado a vários meses, o Governo do Estado, por meio da Secretaria da Produção, procurou parceria com o Banco do Brasil com vistas a minimizar esses problemas dos produtores, assegurando crédito, pelo menos, para a comercialização. Quem quiser adquirir o gado procedente das regiões alagadas terá financiamento do Banco do Brasil. Dessa forma, o pecuarista pode ter mais tranquilidade e venderá o gado por um preço mais justo.
Condições de crédito
Conforme informações da superintendência do Banco do Brasil, o financiamento será concedido a juros de 6,75% ao ano, e o teto por benefício é de R$ 200 mil. Vai ser dada prioridade àqueles até R$ 100 mil. O limite financiado será de 80% do orçamento a ser apresentado pelo tomador do crédito. E o prazo para pagamento é de dois anos, mas terá que ser pago em apenas uma parcela. (MH)

Felpuda


As pré-candidaturas bizarras estão se espalhando nas redes sociais, nos perfis de quem acredita que esse tipo de “campanha eleitoral” poderá resultar em votos e até levar à conquista de uma vaga na Câmara Municipal de Campo Grande. Se antes isso era visto apenas no horário eleitoral na TV, agora está se espalhado como erva daninha nas redes. Como diria vovó: “Esse povo ainda se acha!” Afe!