Sábado, 24 de Fevereiro de 2018

PREÇOS EXCELENTES

Safra de algodão de MS terá área 37% maior

1 NOV 2010Por Maurício Hugo20h:33

Com o plantio devendo ser iniciado em 15 deste mês de novembro, a safra de algodão deverá ter crescimento de pelo menos 30% no Brasil, e de 37% em Mato Grosso do Sul. A produção nacional deverá ser 40% maior em 2011, segundo as previsões oficiais. No entanto, tudo vai depender muito das condições climáticas.

E essa expansão de área e de produção tem um motivo principal: a excelente cotação que o algodão está tendo no mercado internacional. Os preços dispararam a ponto de motivar uma corrida dos cotonicultores para ampliar suas áreas no Brasil. A área deverá atingir 1 milhão e 100 mil hectares na safra que vai começar, contra uma área de 850 mil hectares na safra 2009/2010. E a produção que foi de 1 milhão e 100 mil toneladas na última safra, se o tempo colaborar deverá atingir 1 milhão e 600 mil toneladas, de acordo com as últimas previsões.

Em Mato Grosso do Sul, de uma área de 38.650 hectare na safra 2009/2010, a expectativa hoje é de que sejam plantados 53.000 hectares, o que representa um crescimento de 36%, portanto superior a expansão da área no âmbito nacional.

As expectativas de produção no Estado apontam para um número de 72 mil toneladas de pluma contra 50 mil toneladas de pluma na safra anterior, e 75 mil toneladas de caroço contra 55 mil na safra recentemente colhida no Estado. As informações são do corretor de produtos agrícolas Pedro Calgaro.

 

Preocupação

Apenas um fator, que é bem importante, provoca preocupações nos cotonicultores brasileiros. É o câmbio e os boatos que tem circulado nos setores econômicos de que no próximo o ano o dólar sofrerá novas desvalorizações podendo chegar a R$ 1,50, o que seria extremamente prejudicial não apenas para os cotonicultores mas para toda a economia brasileira e mundial.

O ideal para quem trabalha na agricultura é que o dólar se mantivesse acima dos R$ 2 no ano que vem. Isso significaria lucro importante para o setor, levando-se em conta as atuais cotações. Para o presidente da Abrapa - Associação Brasileira dos Produtores de Algodão, Haroldo Cunha, a próxima safra será uma das maiores da história da cotonicultura do País. "Só vamos perder para o ano de 2004 quando o preço também estava excepcional e os produtores plantaram muito", afirmou.

O fator clima, no entanto, é outra grande preocupação dos cotonicultores sul-mato-grossenses e brasileiros. Especialmente porque está confimado a influência do La Niña que provocará alterações climáticas que certamente terão reflexos na produtividade das lavouras.

Leia Também