Fale conosco no WhatsApp

Por sua segurança, coloque seu nome e número de celular para contatar um assessor digital por Whatsapp.

Ruído

29 JAN 10 - 01h:26
Furo de reportagem O documentário “Perdão Mister Fiel”, de Jorge Oliveira, foi bastante aplaudido na estreia no 7º Festival de Cinema de Campo Grande (FestCine Pantanal). O filme é uma das obras que compete na categoria Melhor Longa-Metragem, júri oficial e popular no festival. Com o diretor presente na sessão de lançamento do filme (última terça-feira) ao lado da produtora, Ana Maria Rocha, o debate que se seguiu à exibição varou a madrugada e empolgou a plateia. O longa é um furo de reportagem na tela do cinema. Foi produzido ao longo de três anos e está pautado na trajetória de Manoel Fiel Filho, operário comunista, torturado e morto nas dependências do DOI-CODI, três meses depois do assassinato do jornalista Vladimir Herzog. Num dos depoimentos mais chocantes, um ex-agente conta em detalhes como era a rotina da sede clandestina do departamento. Ainda são entrevistados para o documentário ex-presidentes do Brasil, e o atual, Luiz Inácio Lula da Silva, além de pessoas torturadas durante a ditadura militar. Produção Audiovisual no Centro-Oeste Também no Festival de Cinema de Campo Grande, que termina amanhã, uma mesa de debate (foto) chamou a atenção no último domingo, quando o tema “A produção do cinema no Centro-Oeste” esteve em pauta com a presença dos cineastas Iberê Leal (DF), Edson Audi e Essi Rafael Leal (ambos de MS), Eduardo Ferreira (MT) e Amarildo Pessoa (GO). A atividade foi ponto de encontro e de troca de experiências entre os diretores de cinema e o público presente, com informações sobre os caminhos percorridos para produção e distribuição das obras. Todas as capitais da região, e Brasília, realizam festivais de cinema – ponto fundamental no discurso dos palestrantes para a exibição das produções e também para o fomento da arte. Mas há itens distintos entre as cidades da região, como os editais de financiamento para a cultura. No Distrito Federal, os recursos batem a casa dos R$ 18 milhões para o Fundo de Arte e Cultura (que ainda foi subvalorizado, pois deveria ter tido R$ 24 milhões, em caixa, no ano de 2009) mais editais especí ficos para audiovisual, contemplando c u r t a s e lon - gas-metragens. Quem sabe, um dia, Mato Grosso do Sul chegue lá e, assim, d e s p e j e m a i s p r o d u ç ã o n o Festival de Cinema de Campo Grande, que está carente de obras locais para exibição. Cinema na escola Enquanto isso, para tentar solucionar a falha de distribuição de audiovisual no País e aproximar os brasileiros da produção nacional, um projeto de lei do senador Cristovam Buarque (PDT-DF) quer incluir no currículo da educação básica a exibição de filmes e audiovisuais de produção nacional. A proposta foi apresentada na forma do Projeto de Lei (PLS 185/08), que aguarda ser incluído na pauta de votação da Comissão de Educação, Cultura e Esporte (CE).
Esse artigo foi útil para você?
Os comentários abaixo são opiniões de leitores e não representam a opinião deste veículo.

Leia Também

Guarda afasta agentes que atuaram em dispersão de manifestantes
CONFUSÃO NO TERMINAL

Guarda afasta agentes que atuaram em dispersão de manifestantes

Jovem morto em acidente era soldado do Exército e seguia para o trabalho
COLISÃO

Jovem morto em acidente era soldado do Exército e seguia para o trabalho

Árvores da Rui Barbosa ganham poda para harmonizar com Reviva
REVITALIZAÇÃO DO CENTRO

Árvores da Rui Barbosa ganham poda para harmonizar com Reviva

Verstappen brilha em Interlagos e vence GP do Brasil
FÓRMULA 1

Verstappen brilha em Interlagos e vence GP do Brasil

Mais Lidas

Gostaria-mos de saber a sua opinião