Fale conosco no WhatsApp

Por sua segurança, coloque seu nome e número de celular para contatar um assessor digital por Whatsapp.

INCERTEZA

Ruas vazias, comércio fechado e manifestações discretas caracterizaram as últimas horas no Paraguai

23 JUN 12 - 09h:10AGÊNCIA BRASIL

A incerteza e o medo sobre o futuro do Paraguai se refletiram nas ruas de Assunção, capital do país, nas últimas horas. O comércio fechou as portas, as escolas suspenderam as aulas e poucas pessoas ousaram sair às ruas. Os motoristas de táxi só aceitavam viagens aos locais distantes das manifestações. Porém, quem decidiu enfrentar os obstáculos dos policiais e o frio optou por protestos pacíficos durante a noite de ontem e a madrugada de hoje (23).

Em Assunção ontem (22), depois do enfrentamento entre policiais e manifestantes nas praças em frente ao Congresso Nacional e ao palácio do governo, poucas pessoas continuaram nas ruas. Algumass pintaram as cores da Bandeira do Paraguai no rosto – branco, azul e vermelho – e outras mais discretos optaram por protestos pacíficos.

Professor de uma escola rural, Francisco Lescano acompanhou, da praça em frente ao Congresso Nacional, as últimas horas de discussão sobre o futuro do então presidente Fernando Lugo. “É um golpe não só para o Lugo. É um prejuízo para o Paraguai. É um retrocesso, pois quebrou-se a convivência democrática”, disse.

Crianças, jovens, mulheres e homens formavam pequenos grupos que se aqueciam nas praças com a ajuda de fogueiras durante a noite e a madrugada. Os policiais e militares das Forças Armadas acompanhavam de perto os grupos. “O Paraguai vive uma situação conjuntural diferente, o que trará consequências políticas e econômicas para todo o país, será um retrocesso”, disse o camponês Néstor Ordez.

Os comentários abaixo são opiniões de leitores e não representam a opinião deste veículo.

Leia Também

FLÁVIO BOLSONARO

PL livra de punição agente que neutralizar quem portar fuzil

Proposta amplia ainda mais conceito de legítima defesa
LIBERDADE DE IMPRENSA

Jornalista morre após ser baleada em confronto na Irlanda do Norte

"Concorrência pressiona aumento na bomba", afirma Sinpetro
REAJUSTE COMBUSTÍVEIS

"Concorrência pressiona aumento", afirma Sinpetro

Fiéis enchem igrejas para as celebrações da Paixão de Cristo
SEXTA-FEIRA SANTA

Fiéis enchem igrejas para
as celebrações desta sexta

Mais Lidas