segunda, 16 de julho de 2018

VIA LIBERADA

Rua Ceará reaberta quase um ano depois

5 DEZ 2010Por DANIELLA ARRUDA00h:00

 

Com capacidade de vasão de 100 mil litros de água por segundo, obras de contenção de enchentes das avenidas Ceará e Ricardo Brandão estão projetadas para suportar volume de chuva semelhante ao registrado em 27 de dezembro do ano passado e 27 de fevereiro deste ano, quando trombas d’água ruíram as duas avenidas, além de causar estragos em vários pontos da cidade. A afirmação é do prefeito Nelsinho Trad (PMDB), que participou da inauguração das intervenções de macrodrenagem e recuperação viária do trecho, reaberto para o tráfego no final da manhã de ontem. "Existe uma máxima de que o homem não pode contra a natureza e eu vou respeitá-la, mas se uma chuva com a mesma proporção (como as registradas em dezembro do ano passado e fevereiro deste ano), não vai ter problemas", disse durante a solenidade de inauguração da obra, também acompanhada pelo governador André Puccinelli (PMDB), pelo suplente de senador Antônio João Hugo Rodrigues e diversas autoridades.

Conforme informações do prefeito, foram entregues ontem 80% da obra – falta ainda a construção da última alça de acesso entre a Rua Ricardo Brandão e a Avenida Ceará –, mas o sistema hidroviário já está restabelecido com segurança, com a construção de uma galeria de concreto de oito metros de largura por seis metros de altura e uma extensão projetada para poder suportar 100 mil litros de água por segundo. "Isso vai poder dar uma tranquilidade de vazão, para que a cidade não sofra mais problemas com as tempestades nesse local", assegurou.

Conforme informações do secretário municipal de Infraestrutura, Transporte e Habitação, João Antônio De Marco, as dimensões dessa galeria equivalem a um prédio de 20 andares "deitado", enquanto a recuperação viária (asfalto, aterramento e serviços adicionais) corresponde ao que seria utilizado para construção de uma estrada de sete quilômetros.

Obras complementares, como a conclusão do muro de arrimo de quatro metros de altura e outro muro de 1,20 metros, visando o isolamento acústico para os moradores do Condomínio Cachoeirinha, além de calçada e defensas (guarda-corpo para pedestres sobre o viaduto e guard-rail) nas alças de acesso só deverão ficar prontas no fim do ano nesse trecho, conforme previsão da empresa Nautilus Engenharia, responsável pelas obras.

 Última alça
Segundo o prefeito Nelsinho Trad, a construção da última alça de acesso empregará técnica de engenharia diferenciada, denominada solo grampeado. Para evitar o desmoronamento do talude, que fica retilíneo num ângulo de 90 graus em relação ao solo, serão colocadas ferragens e injetado concreto auto-expansivo nessa estrutura. "Vai ter um paredão de concreto para poder identificar e dar segurança aos motoristas que trafegarem pelo local. Essa obra vai ser iniciada na segunda-feira (amanhã), com previsão de entrega até o Natal", anunciou.

Além desta intervenção, a prefeitura também investirá na parte urbanística da Praça das Águas e na restauração dos taludes, que em alguns pontos do Córrego Prosa, até a Rua Padre João Crippa, onde o córrego está envelopado, sofreram desmoronamento por causa da chuva. "É isso que falta e também as obras do shopping, que nós vamos terminar em março", informou.

Leia Também