Fale conosco no WhatsApp

Por sua segurança, coloque seu nome e número de celular para contatar um assessor digital por Whatsapp.

Campo Grande - MS, segunda, 19 de novembro de 2018

Decoração

Rosa agrada de meninas românticas a rapazes descolados

22 AGO 2012Por terra00h:00

A cor rosa era associada apenas ao feminino e ao amor. “As mocinhas adoram, pois é romântico e, ao mesmo tempo, alegre”, diz a arquiteta Andrea Murao, de Taubaté (SP). Por isso, há alguns anos ela teria chocado as pessoas ao pintar uma parede com esta cor no apartamento de um casal. O marido da cliente, no entanto, adorou o trabalho, feito em 2011.

Em outro projeto, igualmente bem aceito, o armário e a cabeceira da cama é que ganharam essa tonalidade. “Houve muita mudança na cabeça das pessoas nos últimos tempos, o que permite usar mais o rosa”, constata.

O tom não só extrapolou os dormitórios das meninas românticas como tem sido usado em diversos ambientes. No mesmo apartamento da cabeceira rosa, a cor aparece em outros locais – na parede e no teto da sala, em cadeiras e armários. “Quando utilizado com ousadia, dá um ar moderno”, avalia Andrea. Num trabalho para outro casal, o rosa na parede e em outros objetivos decorativos ajudou a iluminar o ambiente, antes mais soturno. “Dá para colocar a cor também num armário de cozinha”, exemplifica. Ela só não recomenda em um caso: “no quarto de menino não ficaria legal”.

O rosa existe em diversos tons, que causam sensações variadas. A designer de cores da Suvinil Ana Kreutzer afirma que o rosa mais vivo é alegre, jovial, descontraído e estimulante. Já o mais claro torna o ambiente delicado, doce e terno. Andrea lembra um caso em que essa diferença apareceu na prática: ela mudou um quarto penas alterando a tonalidade. “As paredes eram rosa-bebê desde que a menina era criança. Mas ela cresceu, e a cor não fazia mais sentido. Bastou colocar um tom pink para que a garota voltasse a gostar do quarto.”

Para a arquiteta, o rosa vai bem com turquesa, azul-marinho e cáqui. Além do preto – “dá um ar clássico e, ao mesmo tempo, contemporâneo”, comenta. Ana menciona também o verde-escuro e o cinza. “Fica perfeito.”

E, apesar de os tons quentes não serem recomendados, um toque de ousadia às vezes vai bem: a arquiteta não hesitou ao usar um grande móvel amarelo em uma sala com parede rosa, dando alegria à sala.

Os comentários abaixo são opiniões de leitores e não representam a opinião deste veículo.

Leia Também