segunda, 16 de julho de 2018

NEGOCIAÇÃO

Ronaldinho fica entre Palmeiras e Flamengo

3 JAN 2011Por ESTADÃO06h:23

O presidente do Palmeiras, Luiz Gonzaga Belluzzo, decidiu atuar pessoalmente para colocar um ponto final na novela na qual se transformou a contratação de Ronaldinho Gaúcho. O dirigente tem agendada uma reunião hoje, na capital, com Roberto Assis, irmão e agente do craque. Na pauta, a resolução dos últimos detalhes para sacramentar o negócio. Belluzzo, que conversou também com o vice-presidente do Milan, Adriano Galliani, sobre a liberação do atleta, apressou-se porque sabe que a concorrência é forte. No Rio, diretores do Flamengo também consideram o acerto iminente.

O assunto esquentou ontem, quando Assis passou o dia em reuniões. Ao mesmo tempo que acertava os detalhes do desligamento do Milan, o empresário se reuniu com representantes de Flamengo e Palmeiras. Além dos números, os dois clubes apostam também no poder de persuasão de seus treinadores. Tanto Luiz Felipe Scolari quanto Vanderlei Luxemburgo participam do processo de convencimento do atleta.

A primeira proposta formalmente apresentada foi a palmeirense. O clube paulista foi representado pelo empresário Roberto Tadeu. "Posso dizer que o Assis ficou bastante entusiasmado com a nossa oferta", confidenciou Tadeu logo após o encontro. "Agora, é claro que eles devem se reunir com o Flamengo para ouvi-los. Tudo vai depender do que for discutido neste encontro."

E foi exatamente isso o que ocorreu. Poucos minutos depois de encerrar a conversa com os representantes alviverdes, foi a vez de Assis se reunir com os rubro-negros. Assim como fez com os paulistas, o irmão de Ronaldinho Gaúcho deixou os cariocas animados com o desfecho da negociação. "A coisa esquentou para o nosso lado", afirmou a presidente Patrícia Amorim.

Valores. Em relação aos números, as ofertas de Palmeiras e Flamengo são parecidas. Os salário mensal oferecido é de, aproximadamente, R$ 1 milhão. A esse montante somam-se eventuais ganhos com direitos de imagem, que poderiam fazer esse patamar alcançar R$ 1,5 milhão/mês. "No caso do Grêmio, falta muito dinheiro", explicou Assis. "Fico no Rio até dia 4 (amanhã) para resolver isso."

Essa é a razão de os dois lados terem feito questão de usar seus técnicos na briga. Felipão não chegou a se reunir pessoalmente com o jogador, mas trocou telefonemas. Neles, o treinador lembrava que uma das melhores fases da carreira do craque foi justamente durante a Copa do Mundo de 2002, quando, sob seu comando, Ronaldinho foi uma das principais figuras da equipe que conquistou o pentacampeonato.

Leia Também