terça, 17 de julho de 2018

MISTÉRIO

Ronaldinho anuncia rescisão com Milan

6 JAN 2011Por ARLINDO FLORENTINO18h:16

A coletiva de imprensa no hotel Copacabana Palace, no Rio de Janeiro, não definiu o futuro de Ronaldinho Gaúcho. No entanto, ela foi a confirmação de que o Milan já liberou o jogador para negociar com outros clubes, e agora o craque vai decidir entre Flamengo, Grêmio e Palmeiras.

O vice-presidente do clube italiano, Adriano Galliani, informou que o contrato entre as duas partes continua valendo, mas o Milan aceitou a decisão do jogador de sair da Itália. A partir de agora, Gaúcho vai escolher seu destino e comunicar o time do presidente Silvio Berlusconi. O Brasil é a prioridade, embora também haja interesse do Blackburn (ING) e do Fenerbahce (TUR).

Para o irmão e procurador do jogador, Roberto Assis, o mais difícil do projeto de retorno ao Brasil era convencer o Milan de facilitar a liberação. A permanência de Adriano Galliani no Brasil até o fim da negociação é um indicativo forte de que o rossonero não vai impor problemas.

"O contrato com o Milan não foi rescindido e eles serão parte importante para decidir o futuro dele. A decisão será nossa e deles. O clube sempre passou palavras de tranquilidade e é maravilhoso ele aceitar a decisão de Ronaldinho. Conversamos durante um bom tempo e procuramos entender os desejos do Milan", afirmou o agente.

Assis ainda ressalta que não conversou com ninguém do Corinthians, e que o acordo com o Milan não vale para clubes italianos. Sendo assim, o interesse da Inter de Milão, do técnico brasileiro Leonardo, está definitivamente descartado.

"Chegamos a um consenso de que Ronaldo está livre para negociar com algum time brasileiro, mas não poderá jogar em um clube italiano", completou.

Livre para decidir o futuro de seu irmão, o agente avisa que ainda pode demorar um pouco para acontecer algum anúncio.

"É muito difícil para o atleta tomar uma decisão desse nível. Tem a carreira, a seleção brasileira, o Mundial (do Brasil, em 2014). É importante para ele e para o Brasil. Espero que ele tome a melhor decisão", ressaltou.
 

Leia Também