Especial Coronavírus (COVID-19) - Leia notícias e saiba tudo sobre o assunto. Clique aqui.

HEMOSUL

'Rolezinho' para <br>doar sangue reúne 135 pessoas

'Rolezinho' para <br>doar sangue reúne 135 pessoas
02/02/2014 00:00 - Daniel Campos


Jovens organizaram na manhã de ontem o “Rolezinho no Hemosul”, com o objetivo de promover a doação de sangue e a conscientização das pessoas com a pratica da doação. Organizada nas redes sociais, a iniciativa atraiu 135 pessoas, e resultou na coleta de 80 bolsas.

Segundo o responsável pelo evento, o atendente de telemarking, Pedro Costa de Freitas, a ideia de movimentar a população campo-grandense surgiu ao observar no restante do País a ação negativa que os “rolezinhos” estavam tomando.

“Os rolezinhos ganharam uma ótica ruim em São Paulo e no resto do País. Para diferenciar deste movimento ruim tivemos a ideia de realizar um do bem”, disse Pedro.

Para ele, a ação é uma maneira de manter-se em pé as agitações populares que movimentaram o Brasil nos últimos meses, e que a população pudesse aderir sem nenhum medo ou represália.

“Nem todas as pessoas aprovaram os rolezinhos nos shopping, mas esse não teve gente que não falou que não curtiu a ideia”, afirma.

A técnica do Hemosul, Lucéia Fernandes aprovou a iniciativa, principalmente pelo assunto ser de impacto social. Mas para ela, praticas como essa tem que ser rotineiras e não apenas acontecer em certos períodos. “É importante que isso ocorra de forma contínua, e não em ações isoladas”, disse.

Felpuda


Ao que tudo indica, partido teria criado “racha” apenas visando jogar para a plateia, e, assim, quem estava com a corda toda anunciou que se prepara para o desembarque. Nos bastidores o que se ouve é que o tal fundo partidário seria o motivo da desavença e que quem nunca comeu mel quando come se lambuza. Só que não. A estratégia é continuar “dono” da atual legenda e “tomar a frente” de partido que está em fase embrionária. Tudo inspirado na “velha política”.