quinta, 19 de julho de 2018

REDUTORES DE VELOCIDADE

Rodovias federais de MS receberão 97 radares e lombadas

27 DEZ 2010Por anahi zurutuza01h:00

Até março do próximo ano, equipamentos controladores de velocidade começam a ser instalados nas rodovias federais de Mato Grosso do Sul. A previsão é do Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (Dnit) que, em novembro deste ano, homologou o resultado da concorrência pública que prevê a instalação de 2.696 redutores que vão monitorar 5.392 faixas de trânsito rodoviário pelo prazo de cinco anos, em todo o Brasil. O Estado vai receber 97 equipamentos, que vão fiscalizar 198 faixas.

A intenção do Dnit, segundo a assessoria de imprensa do órgão, é aumentar a segurança dos usuários das rodovias, nos trechos em que geralmente acontecem acidentes. Segundo o departamento, foram feitos estudos levando em consideração estatísticas de acidentes registrados pela Polícia Rodoviária Federal (PRF).

Em Mato Grosso do Sul, serão instaladas 37 lombadas eletrônicas para monitorar a velocidade em 74 faixas nas rodovias. A BR-158 receberá os controladores em quatro pontos, a BR-163 em 19, a BR-262 em 6 pontos e a BR-267 em 8. O Estado contará, ainda, com 54 radares fixos que fiscalizarão 108 faixas em diferentes localidades e seis equipamentos supervigias, que flagram excesso de velocidade e avanço do sinal vermelho. Estes aparelhos que serão instalados nas áreas urbanas da BR-158, em Cassilândia, BR-163, em Campo Grande (em frente à Uniderp Agrárias), e na BR-262, em Três Lagoas.

Licitação
Foram dois anos de tramitação e impasses na Justiça — a licitação foi lançada em outubro de 2009 — até que o Dnit conseguisse escolher as empresas que serão responsáveis pela instalação e manutenção dos mais de 2 mil equipamentos que serão colocados nas rodovias do Brasil. A licitação foi dividida em 12 lotes, ou seja, diferentes empresas do ramo serão contratadas pelo Departamento Nacional de Transportes para fazer o trabalho. No Estado, a instalação dos controladores será executada pelo consórcio formados pelas empresas Concilux Tecnologia e Fiscal.

O total de investimento do Dnit é de R$ 804 milhões. Para Mato Grosso do Sul, Mato Grosso e Góias, estados que pertencem ao mesmo lote, a instalação dos redutores custará R$ 68 milhões.

A reportagem tentou entrevista com diretor-geral do Dnit, Luiz Antônio Pagot, mas ele respondeu por meio da assessoria de imprensa. O diretor garante que apesar da demora para finalizar o processo licitatório, no início do próximo ano os contratos com as empresas vencedoras serão assinados e até março os primeiros equipamentos serão ligados. "Os contratos estão sendo finalizados e devem ser assinados nos próximos dias. Com a assinatura, empenho dos recursos e ordem de início de serviço, as empresas fazem seu planejamento com supervisão do DNIT e começam as instalações", explicou.

Leia Também