Especial Coronavírus (COVID-19) - Leia notícias e saiba tudo sobre o assunto. Clique aqui.

ESPORTES

Rodada define os últimos classificados

Rodada define os últimos classificados
30/06/2010 07:19 -


Em confronto dramático, decidido em cobranças de pênaltis, o Paraguai derrotou o Japão e pela primeira vez em sua história vai disputar as quartas de final de uma Copa do Mundo. Sem gols nos 90 minutos de tempo normal e na prorrogação, o time sul-americano garantiu sua classificação vencendo por 5 a 3 na cobrança de tiros livres diretos.

Mesmo sendo uma partida fraca tecnicamente, as duas equipes tiveram chances de marcar com bola rolando. O Paraguai levou perigo em jogadas aéreas com Barrios, Santa Cruz e Cardozo, já os japoneses tentavam explorar as bolas paradas com Honda e Endo, mas sem sucesso. Com o resultado, os paraguaios enfrentam a Espanha na próxima fase, já os japoneses voltam para casa.

No jogo que decidiu o adversário do Paraguai, a Espanha mostrou que é um time com conjunto, força de ataque e que tem uma sólida defesa, enquanto os portugueses caíram pela dependência de Cristiano Ronaldo. O jogador deixa o Mundial com apenas um gol marcado, contra a fraca Coreia do Norte, e sem apresentar o futebol que o levou a ser melhor do mundo em 2008.

O único gol do confronto foi marcado aos 17 minutos do segundo tempo. O meia Xavi fez boa jogada e tocou de calcanhar para David Villa. O atacante, recém-contratado pelo Barcelona, chutou duas vezes  para marcar seu quarto gol na Copa do Mundo e se tornar artilheiro da competição ao lado de Gonçalo Higuaín (Argentina) e Vitek (Eslováquia). (JP)

Felpuda


Engana-se quem acha que diminuiu a voracidade de ter fatia de cobiçado bolo por parte de “quem manda”. O recuo realmente houve, mas só por enquanto e por uma questão de estratégia, até porque, nas primeiras investidas, as portas não se abriram. E continuam fechadas. Mas quem conhece bem a dita figurinha aposta que ela não desistirá até encontrar, digamos,  um “chaveiro amigo”. Essa gente não sossega nem diante da pandemia... Afe!