EXPERIÊNCIA

Robô Curiosity usa laser em <br>Marte pela primeira vez

Robô Curiosity usa laser em <br>Marte pela primeira vez
20/08/2012 00:00 - G1


O robô Curiosity da agência espacial americana (Nasa) disparou seu laser pela primeira vez em Marte neste domingo (19). O robô usou o feixe de um instrumento de ciência para analisar uma rocha do tamanho de um punho chamada "Coronation".

O instrumento de química e câmera da missão (ChemCam) bateu na rocha durante um período de 10 segundos com 30 pulsos de seu laser. Cada pulso oferece mais de um milhão de Watts de energia por cerca de cinco bilionésimos de segundo.

A energia do laser excita os átomos na rocha, gerando um plasma ionizado, brilhante. A ChemCam pega essa luz com um telescópio e analisa com três espectrômetros para obter informações sobre quais os elementos estão no alvo.

"Temos um grande espectro da Coronation - muitos sinais", disse o investigador principal Roger Wiens, do laboratório nacional de Los Alamos. "Nossa equipe está emocionada e trabalhando duro, olhando para os resultados. Depois de oito anos de construção do instrumento, é hora da recompensa!"

Prática do alvo
O instrumento registra espectros da faísca induzida por laser em cada um dos 30 pulsos. O objetivo desta primeira utilização do laser em Marte era servir como prática de alvo para caracterizar o instrumento, mas a atividade pode ter mais valor.

smaple image

Fique por dentro

Fique sempre bem informado com as notícias mais importantes do MS, do Brasil e do mundo, direto no seu e-mail.

Quero Receber

Felpuda


Princípio de "rebelião" política no interior de MS, fomentada por grupo interessado em tomar o poder, não prosperou. Quem deveria assumir o "comando da refrega", descobriu que, além da matemática ser ciência exata, há "prova dos nove". Explica-se: é segunda suplente, pois não conseguiu votos necessários nas últimas eleições, mas assumiu o cargo porque a titular licenciou-se, assim como o primeiro suplente. Caso contrarie a cúpula, seria aplicada a tal prova e, assim, "noves fora, nada".