ESPORTES

Robinho é anunciado como novo reforço do Milan

Robinho é anunciado como novo reforço do Milan
01/09/2010 06:37 -


Milão, Itália

O Milan, que já conta com os atacantes Alexandre Pato e Ronaldinho Gaúcho, anunciou oficialmente ontem a contratação do atacante Robinho, em definitivo junto ao Manchester City, da Inglaterra. O contrato é de quatro anos.
Ontem, Robinho viajou da Inglaterra para a Itália para fazer exames e acertar detalhes de seu contrato com o clube italiano. No Manchester, ele fora descartado de todas as partidas da equipe na temporada 2010/2011.
De acordo com informações dadas pelo empresário do jogador, Evandro de Souza, Robinho assina contrato de quatro temporadas com o clube italiano em uma negociação de 22 milhões de euros (R$ 49 milhões).
O agente diz ainda que Robinho está muito feliz, rindo à toa, e que está ansioso para jogar com Pato, Ibrahimovc e Ronaldinho. “Vai ser um ataque fenomenal”. No primeiro semestre, o jogador defendeu por empréstimo o Santos, onde ganhou os títulos do Paulista e da Copa do Brasil. Ainda defendeu a seleção brasileira, que foi eliminada nas quartas de final da Copa do Mundo na África do Sul.
Robinho inicialmente era considerado uma espécie de plano B da diretoria rubro-negra, que tinha Zlatan Ibrahimovic como prioridade para o ataque. Mas, mesmo depois da contratação do atacante sueco do Barcelona, o clube insistiu no brasileiro. O Milan estreou com goleada no Campeonato Italiano. O 4 a 0 sobre o Lecce, no domingo, foi marcado por boas atuações dos brasileiros Ronaldinho e Alexandre Pato, autor de dois gols.
smaple image

Fique por dentro

Fique sempre bem informado com as notícias mais importantes do MS, do Brasil e do mundo, direto no seu e-mail.

Quero Receber

Felpuda


Princípio de "rebelião" política no interior de MS, fomentada por grupo interessado em tomar o poder, não prosperou. Quem deveria assumir o "comando da refrega", descobriu que, além da matemática ser ciência exata, há "prova dos nove". Explica-se: é segunda suplente, pois não conseguiu votos necessários nas últimas eleições, mas assumiu o cargo porque a titular licenciou-se, assim como o primeiro suplente. Caso contrarie a cúpula, seria aplicada a tal prova e, assim, "noves fora, nada".