ANÁLISE

Roberto Carlos fica satisfeito com estreia e quer jogar domingo

Roberto Carlos fica satisfeito com estreia e quer jogar domingo
22/01/2010 08:32 -


Roberto Carlos enfim estreou com a camisa do Corinthians. E logo em sua primeira partida, na última quartafeira, uma vitória diante do Bragantino, por 2 a 1. Ontem o lateral-esquerdo “deu-se” nota acima de cinco, disse que sua estreia “poderia ter sido melhor”, declarou amor à torcida e saiu um pouco antes do apito final por sentir câimbra. Mas a vitória, para o camisa 6, foi o mais importante. “Foi uma vitória importantíssima para o time se acostumar a ganhar. O time está bastante motivado, vai melhorar tecnicamente, taticamente, e daqui a pouco vai estar aí brigando pelo título. O que a gente precisava era ganhar. O mais importante é que a minha estreia foi com vitória, que sempre dá uma confiança a mais”, afirmou. Sobre a torcida, o jogador – cujo nome foi o segundo mais comemorado antes da partida, no anúncio da escalação – tem certeza de que sua relação de amor com os corintianos será longa. “É uma torcida que me quer muito, e eu quero muito essa torcida. Desde que eu cheguei, criamos uma afinidade, e isso vai aumentar cada vez mais e com certeza vai durar por muito tempo”, explicou. O jogador foi substituído pouco antes do fim da partida, segundo ele mesmo, por sentir câimbras. Dando claras demonstrações de preocupação com o grupo, Roberto Carlos pediu para sair e dar preferência para um atleta em melhores condições físicas. “Me deu um pouco de câimbra, eu não tinha como voltar, era melhor colocar um jogador descansado”, disse. Em relação às próximas partidas, Roberto disse que quer jogar. “Sou fominha mesmo, quero jogar todos os jogos e não gosto de ficar fora. Como é começo de temporada, tem que aceitar a decisão do treinador, mas se ele precisar estou à disposição”, completou. O jogador, porém, não deverá ser relacionado por Mano Menezes para a próxima partida, contra o Oeste.
smaple image

Fique por dentro

Fique sempre bem informado com as notícias mais importantes do MS, do Brasil e do mundo, direto no seu e-mail.

Quero Receber

Felpuda


Princípio de "rebelião" política no interior de MS, fomentada por grupo interessado em tomar o poder, não prosperou. Quem deveria assumir o "comando da refrega", descobriu que, além da matemática ser ciência exata, há "prova dos nove". Explica-se: é segunda suplente, pois não conseguiu votos necessários nas últimas eleições, mas assumiu o cargo porque a titular licenciou-se, assim como o primeiro suplente. Caso contrarie a cúpula, seria aplicada a tal prova e, assim, "noves fora, nada".