terça, 17 de julho de 2018

Roberto Carlos estreia no Verdão vencendo clássico

21 FEV 2010Por 21h:10
     

        Da redação

        A combinação entre as mudanças do estreante técnico Antônio Carlos Zago e a presença de área o atacante Robert levaram o Palmeiras à vitória no clássico deste domingo, contra o São Paulo. Com dois gols do criticado camisa 20, a equipe alviverde aplicou 2 a 0 nos rivais no Palestra Itália, pela décima rodada, e reencontrou o triunfo em casa no torneio.

        A vitória quebra duas longas marcas no clássico Choque-Rei. O São Paulo, que não sofria gols do Palmeiras desde outubro de 2008, voltou a ser vazado graças a duas cabeçadas de Robert no segundo tempo. Além disso, o time alviverde conseguiu um resultado positivo sobre o rival após cinco partidas, tendo sofrido duas derrotas e empatado três vezes desde a semifinal do Paulista de 2008.

        Tanto Robert como o técnico Antônio Carlos derramaram lágrimas no gramado do Palestra. O atacante, alvo de desconfiança por parte da torcida, chorou ao marcar o primeiro do jogo; já o técnico, bicampeão brasileiro pelo clube no início da década de 1990, não conteve a emoção após ter seu nome gritado das arquibancadas - no sábado, ele foi um dos alvos de protestos por parte dos fãs.

        O Palmeiras também volta a vencer em casa após dois empates e uma derrota em 2010 no seu estádio. O time alviverde, que havia superado em seus domínios apenas o Mogi Mirim na primeira rodada, chegou aos 16 pontos e à sétima colocação no Estadual, mas segue atrás do São Paulo, que tem 17 no quinto posto.

        As duas equipes voltam a campo pelo Paulista no próximo domingo: o São Paulo recebe o Monte Azul, enquanto o Palmeiras desafia o Rio Claro, fora de casa. Os dois clubes, porém, têm compromissos no meio de semana: os pupilos de Zago atuam no Palestra Itália contra o Flamengo do Piauí, na volta da primeira fase da Copa do Brasil. Já o São Paulo vai a Manizales, na Colômbia, para o embate com o Once Caldas no Estádio Palogrande, pela segunda rodada da Copa Libertadores da América.

        

        O jogo

        Com uma formação mais ofensiva em relação à que vinha jogando com Muricy Ramalho, o Palmeiras dos meias Cleiton Xavier e Diego Souza e dos atacantes Lenny e Robert começou a partida no ataque. O time alviverde dominava o campo de defesa adversário e não se limitava a explorar o jogo aéreo, como antes: neste domingo, o time anfitrião mostrou mais poderio de finalização. Foi assim, com chutes de longa distância, que Lenny obrigou Rogério Ceni a fazer uma difícil defesa aos 6min e Diego Souza assustou com uma cobrança de falta, que passou perto da trave são-paulina, aos 14.

        Enquanto o Palmeiras tentava manter o controle do jogo, o São Paulo se fechava e arriscava saídas no contra-ataque. O volante Hernanes era a principal referência na criação tricolor, mas poucas vezes o setor de meio-de-campo do técnico Ricardo Gomes conseguiu levar a bola ao ataque; ao centroavante Washington, isolado na frente, restava sair da área em busca da bola.

        O panorama da partida só foi se alterar na reta final da primeira etapa, quando o São Paulo conseguiu equilibrar a disputa. O meia Jorge Wagner, em um chute de longe, assustou Marcos aos 29min, mas o camisa 12 palmeirense conseguiu fazer a defesa no canto. Já aos 38min, o goleiro deu rebote ao cortar um cruzamento e a bola sobrou para Cléber Santana, que arrematou rasteiro e o zagueiro Danilo fez o corte, quase sob o travessão.

        No início do segundo tempo, porém, o São Paulo sofreu um duplo baque. Aos 5min, o já pendurado Xandão puxou o lateral esquerdo Eduardo, recebeu o segundo amarelo e deixou o time tricolor com um a menos. Três minutos depois, a velha jogada do time então dirigido por Muricy abriu o marcador no Palestra: o meia Cleiton Xavier levantou na área e o atacante Robert cabeceou para o gol, antes de comemorar com lágrimas.

        O Palmeiras não recuou após abrir o placar e buscou o segundo gol em outra jogada de bola aérea. O atacante Marquinhos, que havia acabado de substituir Lenny, cobrou escanteio curto aos 24min e Robert se antecipou à defesa são-paulina para desviar de cabeça. A bola ainda bateu em Rogério Ceni antes de entrar.

        A torcida palmeirense, antes insatisfeita com o time, vibrou com o triunfo no clássico. Além de gritos de "olé" já nos minutos finais, os fãs entoaram o nome de Antônio Carlos e levaram o ex-zagueiro e novo comandante do clube ao choro no gramado. (do Terra)

Leia Também