Sexta, 23 de Fevereiro de 2018

BRASILEIRÃO SÉRIE A

Rivalidade entre Galo e Fla e o rebaixamento

12 NOV 2010Por GLOBO ESPORTE06h:59

Novos tempos, velhos adversários. Neste sábado, Atlético-MG e Flamengo se enfrentam pelo Campeonato Brasileiro. Confronto que tem história. São bons capítulos de uma das maiores rivalidades interestaduais do futebol brasileiro. Heranças da época de Reinaldo e Zico que a década de 80 tem o privilégio de guardar.

Mineiros e cariocas protagonizaram uma das decisões mais emocionantes do Nacional. Em 28 de maio de 1980, no Mineirão, o Galo venceu por 1 a 0, gol de Reinaldo. Eram mais de 90 mil torcedores no Gigante da Pampulha. No jogo da volta, em 1º de junho, o palco foi o Maracanã. Quase 155 mil pessoas viram Nunes, duas vezes, e Zico darem ao Rubro-Negro seu primeiro título do Nacional. Reinado tentou, fez dois, mas não evitou a derrota.

Pela Libertadores do ano seguinte, em duelo pela primeira fase, o Flamengo novamente levou a melhor. Foi assim também em 87, na semifinal do Brasileirão. O time da Gávea venceu por 1 a 0 no Rio e por 3 a 2 no Mineirão. O saudoso Telê Santana era o técnico atleticano.

Há histórias mais recentes. No ano passado, novamente em um Mineirão lotado, a equipe rubro-negra obteve vitória importante na luta pelo título brasileiro. O placar de 3 a 1 marcou a caminhada que terminaria com o hexa. Petkovic, Maldonado e Adriano fizeram os gols do Fla. Ricardinho descontou. Pet tem orgulho de fazer parte deste confronto.

- Conheço um pouco da história e é uma rivalidade que vem de longa data. Já ocorreram jogos importantes, como o do ano passado. O Atlético brigava pela liderança e, com a vitória, o tiraríamos da briga. O Atlético tem uma torcida muito grande e muito, muito boa. Joguei lá, vivi isso e sei que é muito forte, muito importante. Não sei como o Galo está nesta situação, esteve bem no ano passado. É um jogo imprevisível – disse o camisa 10 rubro-negro.

O Atlético está em 16º, com 36 pontos. A situação do Flamengo não é das mais confortáveis. Com 40, o time é o 13º.

- A diferença é enorme. O campeonato do ano passado foi inédito. Vamos falar dele por muitos e muitos anos. É bom que fique na memória porque vamos falar do Flamengo, que fez algo grandioso. Estamos em outra situação agora, mas o Flamengo tem de fazer sua parte, ficar alerta. A vida é assim. Temos de tirar o Flamengo desta situação, afastar a ameaça de rebaixamento. Não podemos permitir esse susto para a nossa torcida. Estou confiante no grupo, estamos treinando bem, nos entregando na reta final. É parecido com o ano passado, mas com outro objetivo – destacou. 

Os rivais vão jogar na Arena do Jacaré, em Sete Lagoas, às 19h30m (de Brasília). Em 22 jogos, apenas em uma oportunidade na história do Brasileiro as duas equipes disputaram uma partida em Minas Gerais fora do Mineirão. Boa lembrança para a massa atleticana: o Galo venceu por 6 a 1, em 2004, no Ipatingão, em Ipatinda. É a maior goleada registrada no confronto.

- Vamos jogar num estádio que nunca joguei. Mas não é mesmo que o Mineirão. É como comparamos o Engenhão com o Maracanã. Mas os jogos são parecidos. Foi um jogo muito difícil no ano passado, com o Atlético dominando no início. Aí fomos felizes de sair na frente, fizemos 2 a 0. Vai ter um sentimento de clássico, de rivalidade e importância enormes. Talvez mais que o ano passado – comentou.

Flamengo e Atlético sempre atraíram grandes públicos. Em 18 dos 45 confrontos, foram mais de 50 mil pagantes. Em três oportunidades, as torcidas superaram a marca dos 100 mil. A Arena do Jacaré comporta 18 mil pessoas.

Leia Também