Domingo, 18 de Fevereiro de 2018

CRESCIMENTO

Ritmo da indústria deve cair este ano

27 JAN 2011Por g111h:55

O ritmo da indústria caiu no fim do ano passado, de acordo com a sondagem de dezembro divulgada nesta quinta-feira (27) pela Confederação Nacional da Indústria (CNI). Em uma escala em que valores acima de 50 pontos indicam crescimento, a evolução da produção industrial no mês ficou em 44,7 pontos - 5,3 pontos abaixo da linha divisória. Em novembro, o indicador havia registrado 52,7 pontos.

A última vez em que o indicador mensal havia apurado desaceleração na atividade foi em janeiro de 2010, quando ficou em 49,2 pontos. No documento divulgado, a CNI afirma que "a produção cresceu de forma moderada em outubro e novembro e recuou em dezembro mais que o esperado".

Perspectiva
Para 2011, a tendência é de um crescimento a um ritmo menor, segundo o gerente-executivo da Unidade de Pesquisa, Avaliação e Desenvolvimento da CNI, Renato da Fonseca. "Os dados mostram que a indústria perdeu ritmo no último trimestre. E a tendência para 2011 é essa, de um crescimento em ritmo menor", disse.

Quando questionados sobre as expectativas para os próximos seis meses, os empresários disseram acreditar que a demanda continuará crescente. O componente que mede as projeções para a demanda do próximo semestre ficou em 58,1 pontos em janeiro, ante 55,2 pontos em dezembro.

Uso da capacidade
A Utilização da Capacidade Instalada (UCI) na indústria ficou abaixo do usual para os meses de dezembro, de acordo com a CNI. Na escala em que 50 pontos correspondem ao desempenho esperado para o período, a UCI ficou em 48,2 pontos em dezembro, o menor resultado do ano de 2010. Em novembro, o indicador registrou 50,4 pontos.

De acordo com a CNI, o porcentual médio de utilização da capacidade no quarto trimestre do ano passado foi de 77%, um ponto porcentual acima do registrado no terceiro trimestre de 2010, mas idêntico ao apurado no quarto trimestre de 2009.

Os estoques na indústria ficaram praticamente conforme o nível planejado pelos empresários, com indicador de 50,1 pontos. Isso, segundo a CNI, "denota que não há excesso ou falta de estoques". No quarto trimestre do ano, o indicador registrou média de 49,2 pontos, ou seja, um recuo em relação ao trimestre anterior.

O número de empregados na indústria cresceu pelo sexto trimestre consecutivo, com o indicador em 52,2 pontos no último trimestre de 2010. O ritmo de crescimento, no entanto, caiu em relação aos cinco trimestres anteriores.

Leia Também