domingo, 15 de julho de 2018

Mão de obra

Risco de apagão na construção civil chega ao governo

7 DEZ 2010Por Carlos Henrique Braga05h:00

Diretores do Sindicato Intermunicipal da Indústria da Construção (Sinduscon-MS) encontram-se hoje com governador André Puccinelli (PMDB), às 17h, em busca de soluções para evitar o colapso de mão de obra do setor. Eles acreditam que pode haver um “apagão” no ano que vem por falta de trabalhadores. O déficit estimado é de 6 mil profissionais em todo o Estado, dos quais 2 mil só na Capital.

A capacitação de novos trabalhadores pode ser acelerada pelo novo projeto da Escola Técnica da Construção de Campo Grande, orçada em R$ 25 milhões, que será feito pela Federação das Indústrias (Fiems). Segundo o presidente da entidade, Sérgio Longen, a obra deve começar em 2012, mas pode esbarrar no “apagão”.

O principal responsável pelos cursos do setor é o Serviço Nacional da Indústria (Senai), que reclama da educação básica deficiente de trabalhadores interessados em capacitar-se. “Muitos não podem fazer o curso porque não têm ensino fundamental, é preciso melhorar os níveis de educação”, adverte Longen. (CHB)

Leia Também