Rio+20 reforça importância de pactos globais para desenvolvimento sustentável

Rio+20 reforça importância de pactos globais para desenvolvimento sustentável
17/06/2012 12:30 - agência brasil


 Os pontos acordados até agora pelos negociadores internacionais na Conferência das Nações Unidas sobre Desenvolvimento Sustentável (Rio+20) ampliam a responsabilidade sobre a implementação do desenvolvimento sustentável no mundo. No documento preliminar consolidado na noite de ontem (16), as delegações reconheceram que as metas esperadas da conferência dependem de uma parceria ampla.

A proposta é assegurar que setor privado e a sociedade civil tenham maior participação nas decisões globais, ressaltando os papéis dos trabalhadores, das mulheres, das empresas e de organizações não governamentais. Especialistas lembram que, há vinte anos, na Rio92, os governos eram apontados como os grandes responsáveis pela indução de uma mudança de padrões de desenvolvimento.

Os negociadores defenderam, com clareza, modelos que integram setores públicos e privados, por exemplo. “A implementação do desenvolvimento sustentável dependerá do envolvimento ativo de ambos os setores”, destaca o documento. Além de apontar as parcerias público-privadas como ferramentas para essa integração, os negociadores defendem a criação de mecanismos para alavancar o novo padrão no comércio e indústria. “Nós encorajamos práticas empresariais responsáveis, tais como as promovidas pelo Pacto Global da ONU”.

No aspecto ambiental, o documento preliminar reconhece, por exemplo, que os agricultores “podem trazer importantes contribuições para o desenvolvimento sustentável por meio de atividades de produção que sejam ambientalmente corretas”. A aposta é que a atividade, conduzida de forma sustentável, aumente a segurança alimentar, garanta o crescimento econômico e a subsistência das populações mais pobres em todas as partes do mundo.

smaple image

Fique por dentro

Fique sempre bem informado com as notícias mais importantes do MS, do Brasil e do mundo, direto no seu e-mail.

Quero Receber

Felpuda


Princípio de "rebelião" política no interior de MS, fomentada por grupo interessado em tomar o poder, não prosperou. Quem deveria assumir o "comando da refrega", descobriu que, além da matemática ser ciência exata, há "prova dos nove". Explica-se: é segunda suplente, pois não conseguiu votos necessários nas últimas eleições, mas assumiu o cargo porque a titular licenciou-se, assim como o primeiro suplente. Caso contrarie a cúpula, seria aplicada a tal prova e, assim, "noves fora, nada".