segunda, 23 de julho de 2018

Rio Preto cria uma "Embraer do coração"

21 JUN 2008Por 21h:48
     

        Da redação

A ligação entre o novo Parque Tecnológico de São José do Rio Preto (400 km ao norte de São Paulo) e pelo menos 50 mil pessoas com problemas cardíacos é um longo talho no peito. O corte preciso, do pescoço até a cintura, é a marca dos pacientes que passaram pela cidade de 400 mil habitantes nos últimos 42 anos procurando cura para doenças do coração. Ali, por iniciativa de um pequeno grupo de médicos, surgiu em 1966 o segundo pólo de cardiologia do Estado. Iniciativa semelhante, protagonizada por algumas das mesmas pessoas, está criando o único centro de alta tecnologia do País voltado para a área biomédica ? de tratamento e produtos.

        "É uma espécie de Embraer do coração", sustenta Domingo Braile, cirurgião fundador das duas corporações em torno das quais o parque está sendo planejado, a Braile Biomédica e o Instituto de Moléstias Cardiovasculares (IMC). "O que deu sentido à indústria aeronáutica brasileira foi a busca da excelência. É exatamente isso que procuramos fazer."
        A peculiaridade do processo é que quase tudo corre por conta da iniciativa privada. O Estado ? e em porção maior o município ? participam na condição de agências de fomento: oferecem a infra-estrutura e cuidam das facilidades de apoio, como transporte, energia ou meios de ocupação. (matéria completa no Correio do Estado deste domingo)

Leia Também