Quarta, 21 de Fevereiro de 2018

REVELAÇÕES

Rick Martin abre o jogo em autobiografia

3 NOV 2010Por Da Redação03h:00

Ricky Martin lançou a sua autobiografia e não deixa nenhum assunto de fora: desde a homossexualidade aos filhos, passando pelos tempos de sucesso nos tops de vendas e as viagens espirituais quando a fama já parecia algo distante.

"O meu nome verdadeiro é Enrique Martin Morales", lê-se na primeira linha do livro "Yo" (em tradução literal: Eu). Esta frase marca o início das memórias do cantor de 38 anos, que o "El País"considera de uma "candidez surpreendente". O relato segue com a infância passada em Porto Rico, a estreia com a banda "Menudo" e a curta carreira como ator numa série televisiva norte-americana e na Broadway.

Sobre o seu sucesso - milhões de cópias vendidas dos seus oito álbuns e quatro prémios Grammy -, Ricky Martin mostra-se humilde dizendo que estava no lugar certo à hora certa. E revela que nos anos de maior sucesso se sentia uma "pessoa vazia". Quando as vendas dos CD começaram a descer, percorreu a Ásia, naquilo que apelida de viagem espiritual. Terá sido nesta altura que decidiu ser pai, o que viria a concretizar em 2008 com recurso a uma barriga de aluguel.

Sobre as suas relações, Ricky Martin diz ter vivido três amores. Os dois primeiros com mulheres, uma apresentadora e uma atriz, e o terceiro com um homem, locutor de rádio em Los Angeles. "Ele durante a noite ia trabalhar na rádio e eu ficava na cama a ouvir a sua voz enquanto me mandava mensagens românticas ao longo do programa", escreve o cantor.

Em março deste ano, o cantor tornou pública a sua homossexualidade. Esta revelação, acompanhada do anúncio do lançamento da sua autobiografia, levantou a dúvida se tudo não passaria de uma estratégia comercial. Mas, no seu livro, Ricky Martin diz que o fez pelos filhos: "Se com elas [as memórias] pude evitar um só suicídio de jovens atormentados, terei dado aos meus filhos uma razão para que estejam orgulhosos de mim".
 

Leia Também