Campo Grande - MS, domingo, 19 de agosto de 2018

CBF

Ricardo Teixeira é acusado de suborno para evitar CPI

19 ABR 2011Por futebolinterior13h:38

O deputado federal Anthony Garotinho mais uma vez voltou a focar nas acusações contra o presidente da Confederação Brasileira de Futebol (CBF), Ricardo Teixeira. Desta vez, o ex-governador do Rio de Janeiro afirmou que o cartola presenteou com uma camisa oficial da Seleção Brasileira deputados que retiraram suas assinaturas da assinaturas do requerimento para a abertura da CPI da CBF.

“A camisa amarela da Seleção Brasileira é um presente que faz muito sucesso. Presidentes sempre dão de presente a governantes estrangeiros. Mas agora, com Ricardo Teixeira, a camisa da seleção se transformou – para usar a expressão da nota da coluna Panorama Político – em um “mimo” para agradecer “a hospitalidade”, leia-se retirada de assinatura da CPI da CBF”, ironizou em seu blog oficial.

Apesar de lamentar o fato, Garotinho promete continuar colhendo mais assinaturas para a abertura de uma investigação na administração da entidade máxima do futebol brasileiro, bem como na organização da Copa do Mundo de 2014. Ele garante ter conseguido mais algumas assinaturas.

“Só quero deixar uma coisa bem clara. Quando o jornal O Globo diz que a CPI não decolou, isso é um desejo dele, mas não corresponde à realidade. Se de fato vários deputados retiraram suas assinaturas, em compensação outros deputados estão assinando. Só não divulgo seus nomes a pedido dos próprios, que não querem sofrer pressões. Continuo recolhendo assinaturas e a CPI da CBF não acabou”, argumentou.

Ricardo Teixeira deu como justificativa para o presente enviado aos deputados a “hospitalidade” em sua última visita à Brasília. "Receba, ilustre deputado, os meus agradecimentos pela hospitalidade com que fui recebido, quando da minha estada em Brasília, no dia 29 de março", dizia a carta.

Vai ser aprovada?
Para que a CPI seja aprovada, Garotinho precisaria de 171 assinaturas, sendo que a Câmara dos Deputados conta com 513 deputados de 21 partidos distintos. No início de abril, Garotinho divulgou os nomes dos 42 deputados, que retiraram suas assinaturas do requerimento para a CPI, curiosamente alguns dias da “tal” visita de Ricardo Teixeira à Brasília.

Entre os que são a favor, estão alguns famoso. Entre eles, o craque Romário (PSB-RJ); o ex-pugilista Acelino Popó (PRB-BA); o filho do apresentador Ratinho, Ratinho Júnior (PSC-PR); o ex-Big Brother Jean Willys (PSOL-RJ); o ator global Stepan Nercessian (PPS-RJ); o palhaço Tiririca (PR-SP) e Paulo Maluf (PP-SP)

A acusação
Garotinho começou a recolher assinaturas para a instauração de uma CPI, na semana passada, após declarar publicamente que Ricardo Teixeira lidera uma “quadrilha que assalta os cofres públicos”.

A afirmação foi uma alusão aos dados divulgados pelo Tribunal de Contas da União (TCU), de que os cofres públicos irão arcar com 98,56% dos R$ 23 bilhões previstos para o orçamento das obras para a Copa de 2014.

A CPI da CBF ganhou força nos sites de relacionamento na internet. Na última semana, foi realizado um movimento no Twitter, denominado #CPIdaCBF, em incentivo para que seja aberta uma CPI contra a CBF e a organização da Copa do Mundo de 2014.

Leia Também