Segunda, 18 de Junho de 2018

Reviravolta profissional

21 JAN 2010Por 05h:26
Após ma is de uma década de trabalho, Norma decidiu sair da Tupi por causa dos constantes atrasos de salário. “A Tupi já estava fraca. Perdi mais de 10 anos de carteira assinada porque eles nunca repassaram os descontos ao INSS”, lamenta. Foi nessa época que ela passou a trabalhar como “freelancer” da TV Rio, TV Excelsior e TV Continental. Em 1964, quando a Rede Globo foi inaugurada, a atriz foi convidada a fazer parte do primeiro time de elenco da emissora. “A Globo pegou os melhores atores da Tupi, a equipe da TV Rio e inflacionou os salários no primeiro momento”, relembra. Norma part icipou da primeira novela da Globo, “Ilusões perdidas”, em 1965, ao lado de Leila Diniz, Reginaldo Faria e Osmar Prado. E, ao contrário do amadorismo que marcou os primeiros anos da Tupi, ela conta que a fase inicial da Globo foi marcada por uma superestrutura. “No lugar de estúdios improvisados em cima de galpões e cassinos, a gente tinha lugares próprios para os trabalhos. Tudo começou de forma muito profissional”, compara. Atualmente no ar como a Irmã Andréia, de “Cama de gato”, Norma atuou em 16 novelas na Globo. Mas a atriz também já trabalhou no SBT, na Band e na Record. E se orgulha ao falar que presenciou de tudo um pouco nesses 58 anos de TV. Para contar tudo o que viu nos bastidores, ela está escrevendo um livro, intitulado “Norma Blum – memória, vida e aprendizado”.

Leia Também