Quinta, 22 de Fevereiro de 2018

Reunião na UFMS marcada por protestos

27 JUN 2008Por 15h:52
     

Após uma forte manifestação dos acadêmicos da UFMS (Universidade Federal Mato Grosso do Sul) sobre a data das eleições para o novo reitor que estava sendo definida para o mês de julho. O Coun (Conselho Universitário) marcou a data para o dia 4 de agosto, pouco depois da volta às aulas das férias de meio de ano.


        

Na reunião realizada ainda pela manhã, foi definida as mesma regras para a votação, ou seja, o dos professores continuará tendo peso maior do que o dos alunos e técnicos. A votação para a sucessão do reitor da universidade vai acontecer este ano mais tarde do que a última eleição, que foi em maio. A indefinição sobre a data vinha provocando reclamações tanto entre alunos quanto de docentes. Havia uma preocupação de que o pleito fosse marcado em período de férias.


        

Para o cargo estão quatro pré-candidatos na disputa: a pró-reitora de Pesquisa e Pós-Graduação, Célia Maria da Silva, que tem apoio do reitor, o professor César Benevides, e os professores Jair Vicente e Antônio Osório.


        

O conselheiro e pré-candidato ao cargo, o pró-reitor de Ensino de Graduação, César Benevides, revelou que haverá pouco tempo para o debate. Ele ainda apresentou como proposta de data da eleição o dia 1° de setembro, alegando que os candidatos terão mais tempo para expor propostas à comunidade da UFMS.


        

Já o reitor Manoel Catarino Paes Peró pensa diferente, e afirma que quem definiu a data foi o colegiado. Ele ainda afirmou que os candidatos já estão postos e já em campanha há algum tempo.


        

Só o número de votantes já faz da eleição da UFMS uma das mais movimentadas no Estado: são 17,6 mil mil, 15 mil deles estudantes, 1,8 mil funcionários e 800 professores. Mas o que mais chama a atenção é o tamanho do orçamento que o novo reitor administrará: cerca de R$ 240 milhões na gestão de 2008 a 2012.


        

Leia Também