FRONTEIRA

Reunião entre índios e MPF termina com tiroteio em Paranhos

Reunião entre índios e MPF termina com tiroteio em Paranhos
29/08/2012 11:00 - Gabriel Maymone


Reunião entre indígenas da área Arroio Korá, em Paranhos (MS), e integrantes do Ministério Público Federal (MPF) terminou em tiroteio na tarde de ontem (28). Eles se reuniram para tratar sobre os conflitos na região, tenso desde o último dia 10 de agosto, quando ocorreu ataque contra os indígenas.

A assessoria do MPF informou que, por volta das 14h30min de hoje, cinco tiros foram disparados bem próximo a reunião, comandada pelo antropólogo Marcos Homero Ferreira, de Dourados.

Após os disparos o clima ficou tenso. A reunião chegou a ser interrompida, mas foi retomada. Os trabalhos na região de Paranhos foram acelerados e a equipe do MPF seguiu para a cidade de Ponta Porã.

Ataques

A terra indígena Arroio Korá foi reconhecida, demarcada e homologada pelo governo federal em 2009. Desde então indígenas e fazendeiros de Paranhos vivem em conflito.

O ataque de 10 de agosto ocorreu na madrugada. Naquele dia indígenas guarani-kaiowá fizeram um protesto e ocuparam áreas de uma fazenda no entorno da aldeia. Lideranças indígenas informaram à polícia que um índio, ainda não identificado, desapareceu após a ação dos pistoleiros.

smaple image

Fique por dentro

Fique sempre bem informado com as notícias mais importantes do MS, do Brasil e do mundo, direto no seu e-mail.

Quero Receber

Felpuda


Princípio de "rebelião" política no interior de MS, fomentada por grupo interessado em tomar o poder, não prosperou. Quem deveria assumir o "comando da refrega", descobriu que, além da matemática ser ciência exata, há "prova dos nove". Explica-se: é segunda suplente, pois não conseguiu votos necessários nas últimas eleições, mas assumiu o cargo porque a titular licenciou-se, assim como o primeiro suplente. Caso contrarie a cúpula, seria aplicada a tal prova e, assim, "noves fora, nada".