Quarta, 13 de Dezembro de 2017

FIM DE ANO

Retrospectiva: saiba o que houve de mais importante este ano para a cultura no Estado

31 DEZ 2013Por THIAGO ANDRADE16h:00

Marcante para a cultura, 2013 não será esquecido tão cedo. Depois de uma década de muita movimentação, os agentes culturais de Campo Grande conseguiram a aprovação de alterações na Lei Orgânica Municipal que prevê a destinação de 1% do orçamento municipal para a produção, difusão e fomento da arte e cultura. Na prática, isso significa que cerca de R$ 10 milhões serão destinados para o setor em 2014. A lei foi sancionada pelo prefeito Alcides Bernal em 20 de dezembro. Com isso, o Fundo Municipal de Incentivo à Cultura (Fmic) e o Programa de Fomento ao Teatro (Fomteatro) terão aumentos. “Conseguimos destinar esses novos valores para ações de difusão cultural”, afirma Ângelo Arruda, presidente do Conselho Municipal de Cultura.

CINEMA

Diretor e protagonista de “O Florista”, Filipi Silveira teve a oportunidade de ver seu curta-metragem exibido em Cannes, na mostra “Court Métrage - Short Film Corner”. durante um dos principais festivais de cinema do mundo. O thriller de suspense apresenta um florista, que também é um assassino em série. Um dos grandes filmes de 2013, ainda inédito em Campo Grande, foi o vencedor do festival que teve o júri presidido por Steven Spielberg. “Azul é a cor mais quente”, dirigido por Abdellatif Kechiche, conta a história de Adèle, uma adolescente de 15 anos que vê sua vida mudar completamente ao se apaixonar por Emma, uma garota de cabelos azuis. 

Também foi o ano em que “Argo” foi premiado com o Oscar de Melhor Filme, em uma disputa de grandes concorrentes como “Amor” e “As aventuras de Pi”, entre outros. No Brasil, as produções nacionais renderam R$ 270 milhões em 2013, contra R$ 157 milhões no ano anterior. Na Capital, a realização do Fest Cine Vídeo América do Sul também trouxe de volta os festivais de cinema a Campo Grande. Oportunidade única de assistir a filmes como o documentário “Olho nu”, sobre Ney Matogrosso, que levou o grande prêmio do evento. e “Tatuagem”, de Hilton Lacerda.

Novas mídias

As web-séries e os games destronaram as mídias tradicionais em 2013. “House of Cards” produzido exclusivamente para Netflix garantiu o Emmy de melhor diretor de série dramática para David Fincher. Pela primeira vez, uma série para a web foi premiada. No Brasil, os vídeos do canal “Porta dos fundos” garantiram renovação do humor e contratos de encher os bolsos de humoristas como Fábio Porchat, Gregório Duvivier e Rafael Infante. Mas nada disso se compara ao estrondoso lançamento de “Grand Thef Auto 5”, conhecido pelos íntimos como “GTA V”. O jogo lançado para Xbox 360 e Playstation 3 atingiu US$ 1 bilhão em vendas apenas três dias depois do lançamento, o que o coloca como o recordista entre produtos de entretenimento a atingir a marca.

Carnaval

No ano em que a escola de samba Unidos da Vila Carvalho conquistou mais um prêmio no Carnaval de Campo Grande, sua principal adversária, a Igrejinha, foi impedida de participar em razão de uma ação movida pelo Ministério Público Estadual. Se a escola não adequasse seu espaço e obtivesse licenças ambientais e contra incêndio e pânico, teria de pagar R$ 10 mil de multa por cada evento em sua quadra. Assim, foi obrigada a deixar de lado a participação nos desfiles em fevereiro deste ano. Mas em 2014, a escola está de volta.

Conexão Blues

Em 2014, a música sul-mato-grossense viu a força do blues renascer. Em apresentações lotadas em diversos bares da Capital, como o Lendas Pub e o Barfly, músicos internacionais fizeram as honras da noite. A britânica Bex Marshall, os americanos Breezy Rodio e Mud Morganfield, ambos de Chicago, foram alguns dos músicos que se se apresentaram em Campo Grande. A produção dos shows sempre teve o dedo de Décio Caetano. 

Leia Também