Quarta, 13 de Dezembro de 2017

Ex-aliados

Retaliação é 'ato medieval', dizem tucanos

13 FEV 2014Por Gabriel Maymone15h:30

O deputado Márcio Monteiro, do PSDB, ex-aliado do prefeito de Campo Grande, Alcides Bernal, do PP, subiu a tribuna, na sessão desta quinta-feira (13), para criticar a forma como ocorreu o episódio envolvendo a esposa do vereador João Rocha - mesmo partido – que, mesmo afastada das atividades da prefeitura por conta do tratamento contra o câncer, foi convocada pela Secretaria Municipal de Educação (Semed) para retornar imediatamente à sala de aula para lecionar educação física, área em que é formada.

O parlamentar classificou a atitude como 'medieval'. Márcio Monteiro também afirmou que o secretário de finanças do município, Wanderley Ben Hur pediu demissão pelo Faceebook, voltou atrás e, agora, enquadrou o prefeito. O deputado disse que a prefeitura está nas mãos do secretário e que espera que agora a administrçaão tome um norte. "Creio eu que, após esse enquadramento, as coisas possam começar a mudar, e a nossa querida Morena, Capital do nosso Estado de MS, ela possa ter, então, o rumo que nós desejamos".

O também tucano Rinaldo Modesto fez um aparte para criticar a atitude. Segundo o parlamentar, o prefeito tem uma “neurose que o alimenta, que o satisfaz ao ver aqueles que o ajudaram serem humilhados”. (veja o vídeo abaixo)

Rinaldo disse ainda que “O que esse cidadão fez com o João Rocha, que está vivendo um momento difícil da sua vida, um momento parecido com o que eu vivi, em agosto do ano passado, com minha filha, que ficou 12 dias, quase 5 dentro de uma CTI. O momento mais vulnerável de um homem é quando ele está doente, ainda mais uma patologia como essa que tem ceifado milhares de vidas, que afeta mais que o físico, afeta o psíquico, a mente”.

Frieza
Declarou ainda o deputado Rinaldo: “Estava na Rússia, naquele frio de 24 graus negativos e vi pela internet mais uma retaliação e pensei: mais frio que esse que estou vivendo na Rússia é o coração desse homem. Ele nos preteriu, até mesmo o João Rocha, que fez de tudo durante um ano em favor da prefeitura, tentando restabelecer a governabilidade. O que ele decidiu? Foi a retaliação da sua esposa, que há quase 30 anos trabalhando por opção, mas não só ela, o professor César, que era presidente do partido dele. Aonde está o professor César, que era chefe de gabinete, me parece que está fazendo pão na periferia, aonde está o vice prefeito que o ajudou a elegê-lo, que na calada da madrugada ratificou seu nome porque não tinha nenhum vice. Aonde está? Também foi chutado. Aonde está o Chocolate, que dirigia pra ele, dava café para ele, também foi retaliado a medida que mandou sua esposa embora”, finalizou. 

Leia Também