Especial Coronavírus (COVID-19) - Leia notícias e saiba tudo sobre o assunto. Clique aqui.

Resultado fiscal desagrada e Bolsa tem 4º mês seguido de queda

Resultado fiscal desagrada e Bolsa tem 4º mês seguido de queda
28/02/2014 20:00 - Folhapress


Com investidores avaliando negativamente dados fiscais do governo brasileiro, o Ibovespa, principal índice da Bolsa brasileira, fechou hoje com desvalorização de 1,08%, aos 47.094 pontos.

O índice acumulou perda de 1,14% em fevereiro, seu quarto mês seguido no vermelho. Na semana, houve retração de 0,60%.

A baixa desta sexta-feira foi puxada pelas ações da Petrobras. A companhia anunciou hoje que uma plataforma de perfuração de poços de petróleo a seu serviço adernou na Bacia de Campos, na região norte do Rio de Janeiro, nesta madrugada.

Os papéis preferenciais (mais negociados e sem direito a voto) da estatal cederam 3,21%, a R$ 13,59 -menor valor desde 2005. Já os ordinários (menos negociados e sem direito a voto) tiveram desvalorização de 2,55%, a R$ 12,99. Juntas, essas ações representam cerca de 12% do Ibovespa.

"A queda da Bolsa hoje foi pautada no resultado fiscal ruim do governo central em janeiro", diz Julio Hegedus, economista-chefe da consultoria Lopes Filho. "Como o governo se comprometeu com uma meta fiscal de 1,9% do PIB para o final do ano, o mercado teme que o número ruim de janeiro se perpetue para os demais meses e acabe forçando o corte na nota soberana do país", acrescenta.

Uma semana depois de prometer maior austeridade neste ano eleitoral, o governo Dilma Rousseff divulgou hoje uma disparada de gastos no mês passado. Em consequência, o saldo das contas do Tesouro Nacional -a diferença entre as receitas e os gastos- caiu pela metade, para R$ 13 bilhões no mês passado.

Os números também impactaram o mercado de câmbio, com o dólar à vista, referência no mercado financeiro, fechando em alta de 0,46% sobre o real, cotado em R$ 2,334 na venda. No mês, a moeda caiu 3,35% e na semana, 0,74%.

Já o dólar comercial, usado no comércio exterior, avançou hoje 0,90%, a R$ 2,345.

Nem mesmo a intervenção do Banco Central no câmbio impediu a moeda americana de subir.

O BC deu continuidade hoje ao seu programa de intervenções diárias no câmbio, através do leilão de 4.000 contratos de swaps cambiais tradicionais (equivalente à venda futura de dólar), no valor total de US$ 197,9 milhões.

Contribuindo para o mau humor, o governo dos EUA reduziu sua estimativa para o crescimento no 4º trimestre uma vez que os gastos dos consumidores e as exportações foram menos robustas do que inicialmente imaginado. A 2ª prévia do PIB (Produto Interno Bruto) no período mostrou alta de 2,4%, representando uma forte queda ante o ritmo de 3,2% anunciado no mês passado. 

As ações da CSN lideraram as perdas do Ibovespa no dia, com baixa de 6,92%, depois que a companhia apresentou prejuízo de R$ 487 milhões no quarto trimestre, revertendo o lucro de R$ 316 milhões registrado um ano antes.

O número veio pior que a projeção de analistas, mas, segundo a companhia, a perda reflete a adesão ao Refis (programa de recuperação fiscal do governo federal). Sem considerar esse efeito, que gerou impacto negativo de R$ 403 milhões para o balanço da empresa, a CSN teria tido um lucro de R$ 450 milhões no trimestre. 

Felpuda


As pré-candidaturas bizarras estão se espalhando nas redes sociais, nos perfis de quem acredita que esse tipo de “campanha eleitoral” poderá resultar em votos e até levar à conquista de uma vaga na Câmara Municipal de Campo Grande. Se antes isso era visto apenas no horário eleitoral na TV, agora está se espalhado como erva daninha nas redes. Como diria vovó: “Esse povo ainda se acha!” Afe!