Especial Coronavírus (COVID-19) - Leia notícias e saiba tudo sobre o assunto. Clique aqui.

Responsáveis pelo Tor desenvolvem ferramenta de chat anônimo

Responsáveis pelo Tor desenvolvem ferramenta de chat anônimo
02/03/2014 03:00 - exame


A Tor Foundation, responsável pelo protocolo de navegação anônima Tor, está trabalhando em um sistema próprio de mensagens instantâneas. Segundo o site ArsTechnica, o projeto será parecido com o pacote Browser Bundle distribuído pela fundação, e trará o software InstantBird IM e uma ferramenta para conectá-lo à rede Tor.

Batizada de Tor Instant Message Bundle (TIMB), a ideia está em planejamento desde julho do ano passado, quando o escândalo de espionagem norte-americana explodiu. Na ocasião, o já citado Tor Browser Bundle se mostrou uma boa alternativa para proteger a navegação do monitoramento da NSA – e o sistema de mensagens pode assumir um papel similar.

A iniciativa, segundo a própria página, é financiada por um patrocinador anônimo, identificado apenas como “Sponsor O”, e começou conhecida como Attentive Otter – algo como “lontra atenta”. Ela deverá forçar o tráfego de mensagens a passar pela rede anônima da fundação, de acordo com o ArsTechnica, e funcionará praticamente como o InstantBird que serve de base para o sistema. O programa, aliás, foi escolhido no lugar do Pidgin, outra alternativa de mensageiro código aberto, aparentemente menos preocupada com segurança.

Seguindo o cronograma do projeto, a primeira versão de testes do TIMB será lançada no final de março deste ano. No entanto, ela não trará suporte ao OTR (Off-The-Record), protocolo criptográfico voltado especialmente para mensagens, responsável por encriptar mais fortemente o tráfego. Mas isso não significa que o chat será inseguro – a proteção só não será tão forte, já que não haverá troca de assinaturas digitais para verificar identidades.

Felpuda


Sindicalista defende o fim de mordomias e privilégios dos políticos e dos integrantes de outros Poderes, conforme divulgação feita por sua assessoria. Para ele, está na hora de se colocar um basta nessa situação, questionando, inclusive, o número de parlamentares e de assessores. Entretanto, não demonstra a mesma aversão por aqueles dirigentes de sindicatos que se perpetuam no poder e que comandam mais de uma entidade, assim como ele. Afinal, o exemplo deve vir de casa, né?