Segunda, 19 de Fevereiro de 2018

Renda agrícola de 2009 reage e pode cair menos que esperado

11 ABR 2009Por 18h:00
     

A estimativa de março indica que a renda agrícola pode atingir o valor de R$ 153,84 bilhões, 4,45% abaixo da obtida em 2008, que atingiu R$ 161 bilhões. Os valores de 2008 e de 2009 são os maiores desde 1997, quando foi iniciada a série. Em janeiro, os dados indicavam queda de 8,8%, em valores reais (já descontada a inflação) e, em fevereiro, perda de 6,2%. O acompanhamento da renda agrícola é realizado mensalmente pela Assessoria de Gestão Estratégica (AGE), do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa).

Os levantamentos da Conab e do IBGE divulgados na terça-feira (7) mostraram que a produção de itens como arroz, milho, soja e cana-de-açúcar, será maior do que se esperava. Segundo o coordenador-geral de Planejamento Estratégico do Mapa, José Garcia Gasques, as novas estimativas refletiram no valor da renda, especialmente na soja, que indicavam redução de 9,2%, em janeiro. Para março de 2009, o aumento real previsto é de 1% . "Do mesmo modo, havia previsão de redução de renda para a cana-de-açúcar, o que não deve ocorrer pelos dados de março", afirma Gasques.

Os produtos que devem apresentar aumento de renda em relação a 2008 são amendoim (43,78%), arroz (23,38%), cacau (22,1%), pimenta-do-reino (18,72%), mandioca (13,17%), cana-de-açúcar (5,63%) e soja (1%). Dos vinte pesquisados, dez apresentaram desempenho negativo e as maiores quedas, em relação ao ano passado, ficaram por conta do trigo (-29,6%), milho (-24,59%), algodão, (-22,14%) e tomate (-8,48%).

        (Com Informações do Mapa)

Leia Também